Autoridades tailandesas apelam para que não paguem para andar de elefante

Depois de algumas fotografias de elefantes, que foram torturados, na Tailândia, surge o apelo do Governo para que os turistas não paguem para andar de elefante.

 

Os turistas australianos que se dirigem para a Tailândia foram alertados para não pagarem para andar de elefante, depois de terem sido tornadas públicas imagens perturbadoras destes animais.

As fotografias, que foram partilhadas nas redes sociais no passado mês de Abril, terão sido captadas em Phuket e mostram elefantes com marcas de tortura na cabeça e no corpo. Os ferimentos são provocados por tratadores para domar os animais.

Embora as imagens estejam a circular desde Abril, continuam a criar efeito no âmbito da sensibilização para esta problemática, com os operadores turísticos a solicitar para que este tipo de negócio não seja alimentado.

Um porta-voz das autoridades tailandesas para o turismo, através de e-mail, respondeu ao Yahoo News Australia: Nunca concordamos que os turistas andem de elefante”. Acrescentando “por favor, não andem de elefante e não apoiem estes negócios”.

Existem, nesta altura, 3.500 elefantes selvagens e 4.500 elefantes domesticados na Tailândia, de acordo com a Associação de Parques Naturais, Vida Selvagem e Conservação.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade