Fórum Turismo reforça estratégia de integração de Palmela no Caminho de Santiago

Fórum Turismo reforça estratégia de integração de Palmela no Caminho de Santiago
Divulgação

Iniciativa fortalece aposta do município como factor de valorização da sua identidade cultural e de desenvolvimento local.

No passado dia 11 de Novembro, realizou-se o Fórum Turismo em Palmela. O Fórum dividiu-se em dois painéis: “O Ano Jacobeu e a Afirmação do Caminho de Santiago” e “As várias Etapas do Caminho de Santiago - Exemplos e Evolução”. A iniciativa pôde contar com vários oradores, como Ana Rita Dias (Federação Portuguesa do Caminho de Santiago), João Micaelo (Turismo de Portugal) e José Luís Sanches (Associação de Peregrinos Via Lusitana).

A integração do concelho neste percurso é, de facto, um desejo antigo da população já que esta sempre sentiu a marca identitária da presença dos freires-cavaleiros da Ordem de Santiago em Palmela, tal como afirma, Álvaro Balseiro Amaro, o presidente da autarquia. Álvaro Balseiro Amaro salientou ainda que esta tem sido uma temática persistente nos objectivos programáticos do concelho. Inclusive, no passado dia 30 de Outubro, o mesmo espaço, recebeu o Colóquio “Espanha, Portugal e o Caminho de Santiago. Caminhos do Caminho”.

No decorrer do fórum, Luís Miguel Calha, o vereador do turismo, abordou qual a situação actual que se encontra a integração e a promoção de Palmela no Caminho. Revelou que após feito o reconhecimento do trajecto, a sinalização é o próximo passo, possibilitando um caminho seguro, orientado e interpretativo da paisagem e de todos os seus recursos. Prevê que esteja finalizada no primeiro semestre de 2022.
O projecto da variante da Península de Setúbal do Caminho Central Português do Caminho de Santiago está a ser desenvolvido pelo Município de Setúbal juntamente com a Associação de Peregrinos Via Lusitana.

Aliada à sinalização, o município tenciona fortalecer uma oferta turística específica, tendo como parceiros, os agentes locais. Pretende criar um albergue municipal para acolher os peregrinos, um guia de restauração direccionado para peregrinos e visitantes e, inclusive, um menu do peregrino. Planeia, ainda, um guia de alojamento direccionado para os mesmos, com uma tarifa própria, e ainda, por último, a integração do Caminho de Santiago na oferta turística dos operadores e empresas de animação turística.

Jorge Humberto da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa considerou esta uma temática fulcral no contexto do turismo português e da região de Lisboa. Afirmou, inclusive, que o Caminho de Santiago, deve ser um serviço, com rosto e telefone, vendo como prioridade, a sua gestão.

O Fórum terminou com a apresentação do livro “Nunca Pares”, escrito por Emanuel Mendes, onde relata o testemunho de um peregrino na primeira pessoa.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade