Agosto registou recordes de receita

por: Zita Ferreira Braga
Agosto registou recordes de receita
Turismo

O INE (Instituto Nacional de Estatística) confirma a tendência de “estrondo” dos proveitos apontada pelo Banco de Portugal.


O alojamento turístico português atingiu em Agosto recordes de receita média por quarto ocupado (ADR) e por quarto disponível (RevPAR).

A informação do INE diz que o alojamento turístico teve aumentos de proveitos totais e de aposento de 24,9% e 25,7% face a 2019, pré-pandemia, respectivamente, com a RevPAR a subir 21,1% e o ADR 18,1%.

O Banco de Portugal assinalou no seu boletim de Outubro um “forte aumento dos preços” do alojamento turístico português, dizendo que em Agosto os preços no consumidor dos serviços de alojamento cresceram 33% acima do nível pré-pandémico e os dos restaurantes e cafés 13%, “o que compara com 10% para o IHPC total”.

A informação do INE indica que a RevPAR, que pondera o preço médio pela taxa de ocupação e é o indicador do alojamento mais utilizado para comparações, atingiu pela primeira vez um valor médio no país acima dos 100 euros, com 102,2 euros, e novos máximos também em todas as regiões, com 151 euros no Algarve, 107,8 euros em Lisboa e Vale do Tejo, 95,6 euros no Alentejo, 91,4 euros nos Açores, 88,2 euros na Madeira, 76,8 euros no Porto e Norte e 55,9 euros no Centro.

E os recordes generalizados são também o quadro que o INE transmite relativamente ao ADR, que internacionalmente é a tarifa média diária, mas que o INE trata como rendimento por quarto ocupado a partir das receitas de aposento, com um novo máximo nacional de 137,2 euros e também recordes em todas as regiões, com 185,6 euros no Algarve, 153 euros no Alentejo, 136,8 euros em Lisboa, 115 euros nos Açores, 109,9 euros no Porto e Norte, 104 euros na Madeira e 92,4 euros na região Centro.

Como estes indicadores já indiciam, e uma vez mais o Banco de Portugal já tinha antecipado, Agosto foi um mês de proveitos recorde para o alojamento turístico português, quer a nível nacional quer por tipos de estabelecimentos com dados publicados pelo INE.

A informação indica que os proveitos totais do alojamento turístico ficaram à beira dos 800 milhões de euros, com 796,96 milhões, 24,9% ou 158,6 milhões acima do montante do mês homólogo de 2019, pré-pandemia, incluindo o recorde de 497,4 milhões de euros dos hotéis, que bateram assim o recorde atingido um mês antes, em Julho, de 440,1 milhões.

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade