Metade dos portugueses não terão uma festa de Natal

Um estudo da plataforma TVDE Free Now, refere: depois de um ano em que as celebrações de Natal de muitas empresas ficaram suspensas, e 49% dos portugueses ainda continua com receio de celebrar o Natal com os seus colegas.

Apesar do receio, o mesmo estudo revela que 68% dos portugueses gostaria de ter festa de Natal da empresa, ainda que num conceito diferente do tradicional, já que 56% prefere agora que a empresa realize uma festa de Natal mais pequena e intimista. No entanto, 11% preferiria festas maiores e mais arrojada, para compensar as “perdas” com a pandemia e 20% não se importa com o tipo de festa, desde que exista uma. Apenas 5% indica preferir festas online.

Para além de Portugal, existem outros países que ainda estão muito relutantes em celebrar e participar nas festas de Natal das empresas. Por exemplo, 26% dos irlandeses, 25% dos alemães e 18% ingleses afirmam não ir às festas de Natal empresariais. Em todos os casos a principal razão é devido à Covid-19.

Ainda assim, 68% dos inquiridos gostaria de participar na festa de Natal de empresa, ainda que mais pequena e intimista (56%)

Os Irlandeses (92%), ingleses (90%), polacos, austríacos e espanhóis (88%) são quem mais deseja ter festa de Natal com os colegas

Quanto a 71% dos portugueses aponta o carro privado como o meio preferido para regressar a casa, em contraste com 41%

Apesar de a maioria dos entrevistados destes 10 países - Alemanha, Áustria, Espanha, França, Irlanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unidos e Roménia - querer celebrar a festa de Natal da empresa, existe ainda 12% que ainda não tem a certeza, principalmente devido à crise da COVID-19 (49%). Outras razões apontadas são o facto de não gostarem de festas de Natal (34%) ou que preferem celebrar com a sua família ou amigos (32%). As festas online não reúnem grande consenso, mas são apontadas por 4% dos inquiridos.

Observando os dados globais do estudo, verificamos que os romenos (76%) lideram o ranking dos mais “festeiros”, seguidos pelos espanhóis (72%), italianos e polacos (71%). No entanto, existe unanimidade quanto ao formato: pequena e intimista. Neste ponto são os alemães (58%) quem lidera a tabela, seguidos pelos polacos (57%). Já os espanhóis (35%) lideram o ranking dos que gostariam de ter uma festa maior para recuperar o “tempo perdido” devido à pandemia.

Dos portugueses que revelam querer festa de Natal, 45% planeia ficar cerca de duas horas na festa de Natal, em linha com o resto dos europeus (44%). Os que indicam que irão embora antes das duas horas, fazem-no porque consideram que não é preciso mais tempo para colocar a conversa em dia com os seus colegas (37%) ou por motivos familiares (29%).

Sem que se possa falar em consenso quanto ao objectivo da festa, os austríacos (46%), os ingleses (40%) e os irlandeses (38%) revelam que “comida e bebida” é o principal factor que os leva a marcar presença nas festas de Natal. Os mais sociáveis da Europa são os espanhóis (51%) e os portugueses (49%), que vêm nas festas de empresa uma oportunidade para se (re)encontrarem com os colegas de trabalho, num ambiente mais informal.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade