Comissão Intermunicipal do Douro "muito satisfeita" e "desconfiada com Ministério da Coesão Territorial

O Presidente da Comissão Intermunicipal (CIM) do Douro afirmou estar "muito satisfeito" com a criação do Ministério da Coesão Territorial, elogiando a escolha de Ana Abrunhosa. No entanto disse estar "desconfiado" com a eficácia da estrutura.

 

"Acho a criação deste Ministério da Coesão Territorial algo extraordinário, fico muito satisfeito, mas temos de voltar a um passado recente, em que esta ideia de ter o interior muito perto da boca, mas longe do coração, tem indicado um conjunto de factores que são um pouco negativos e que me levam a ficar um pouco desconfiado", assumiu o também presidente da Câmara de Sernancelhe.

Carlos Silva Santiago recordou que em primeiro lugar, "a criação, também por este primeiro-ministro, da estrutura de missão de valorização do interior, que depois teve efeitos zero" e, mais tarde, a "criação de uma secretaria de Estado da Valorização do Interior, igualmente sem efeitos" para as regiões do interior.

Considerando que "o senhor secretário de Estado, João Paulo Catarino, tentou, dentro daquilo que são as suas capacidades, e são muitas e boas, fazer um bom trabalho, mas depois não teve eco nos membros ministeriais do Governo e a Secretaria de Estado ficou muito aquém daquilo que era, obviamente, o seu pressuposto".

O presidente da CIM Douro não poupou elogios à escolha de Ana Abrunhosa para a liderança do novo ministério, lembrou "a capacidade que tem e o trabalho que desenvolveu ao longo destes anos na coordenação da região Centro" e, neste sentido, revelou esperança nesta nova criação do líder executivo, António Costa.

"E por ser uma mulher do interior, e também aqui do meu Douro, espero que consiga transportar para este novo ministério essa capacidade, não apenas de ideias, mas que possa ter uma concretização", desejou.

Neste sentido, Carlos Silva Santiago reforçou que acredita "muito em Ana Abrunhosa e neste novo ministério" e espera que a nova ministra "tenha essa capacidade de convencer os colegas para esse investimento de convergência e coesão dos territórios" do interior.

Texto: Lusa

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade