Chegaram em 2014 e hoje já estão quase em igualdade com os taxis

por: Zita Ferreira Braga

Chegadas a Portugal em 2014, ganharam enquadramento legal no último ano, mas a dsicórdia com os taxis ainda não acabou

.
Desde aí, empresas e motoristas obtiveram a certificação oficial até hoje, as empresas e motoristas de plataformas são perto de um terço das referentes a táxis.

De acordo com dados do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), e segundo o Observador, a 30 de Junho existiam já em Portugal 4686 empresas registadas e 13.015 motoristas certificados para a prática de “transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma electrónica”, ou TVDE, como é a sigla que figura nas respectivasviaturas. Já no sector dos táxis, registavam-se 9884 empresas e cerca de 25 mil (mais especificamente, 25.808) taxistas certificados.

Os números surpreendem, até porque em Fevereiro o jornal Público noticiava, citando “informações prestadas pelo IMT”, que apenas estavam registados 349 motoristas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados (TVDE) no país.

Ouvido pelo Jornal de Notícias, o presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (Antral), Florêncio Almeida, lamenta-se face ao facto de que poderá “não haver mercado para tanta gente” questionando a forma como são certificadas essas empresas e motoristas pelo IMT.

Por seu lado, Carla Silva, assessora da Federação Portuguesa de Táxis, alerta para o facto de esta avalanche de oferta causar uma diminuição de preços “abaixo do seu custo”.

“fonte oficial da Uber em Portugal”, não identificada, referiu ao jornal diário portuense que o crescimento das TVDE resulta apenas do aumento da procura, quer por parte de portugueses quer por parte de turistas estrangeiros: “Só em 2017, cinco milhões de turistas estrangeiros abriram a aplicação Uber em Portugal”, afirma.

Em Maio, Coimbra passou a ser  a 19ª cidade onde a Uber opera, em território nacional.

Seis meses antes, em Novembro, a empresa anunciou ter investido dois milhões de euros para cursos de formação de motoristas, “numa parceria com a ACP, a Segurança Máxima e a Prevenção Rodoviária Portuguesa”. Formação de carácter obrigatório, pois quem não a fizesse não poderia continuar a trabalhar, depois de Fevereiro, como motorista de TVDE.

De momento estão licenciadas quatro plataformas electrónicas para transporte individual de passageiros em veículos descaracterizados: a Bolt (antiga Taxify), a Kapten (antiga Chaffeur Privé), a Cabify e a Uber.
A última plataforma a ser licenciada foi a Uber, que por acaso foi a primeira a operar no país antes da regulação de enquadramento legal aprovada pelo Governo no verão passado.

Fonte Observador

RIU Hotels & Resorts

Amsterdam City Card

Etihad Airways