Margem Sul com transportes suprimidos devido à greve dos combustíveis

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), referiu que as empresas de transporte de passageiros de Lisboa e Porto irão acabem por esgotar os 40% de abastecimento previsto para a Grande Lisboa e o Grande Porto.

 

Pedro Henriques, do SNMMP, explicou à Lusa que "a Carris e os STCP [Sociedade de Transportes Colectivos de Lisboa e Porto] vão esgotar os 40%, pois estão a ficar sem combustível e vão querer ser eles a abastecer e a população vai ficar na mesma sem combustível".

A TST – Transportes Sul do Tejo já está a suprimir autocarros na Margem Sul do Tejo por falta de gasóleo. “Devido à falta de combustível, informa-se que os serviços da TST irão sendo progressivamente reduzidos ou suprimidos, à medida que as reservas de combustível da empresa se forem esgotando”, informou a empresa detida pela Arriva em nota enviada ao Dinheiro Vivo.

Recordamos que os serviços mínimos decretados abrangem 40% das operações normais de abastecimento de combustíveis aos postos da Grande Lisboa e Grande Porto e o normal abastecimento de combustíveis aos hospitais, bases aéreas, bombeiros, portos e aeroportos.

Para garantir estes serviços mínimos, o despacho declara a situação de alerta até às 23:59 do dia 21 de Abril para a globalidade do território de Portugal continental.

Esta situação implica a convocação dos trabalhadores dos sectores público e privado que se encontrem habilitados com carta de condução de veículos pesados, com averbamento de todas as classes de ADR, designadamente quem desempenha cumulativamente funções de bombeiro voluntário, bem como os agentes de protecção civil habilitados à condução de veículos pesados.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade