Startups estrangeiras desenvolvem projecto em Portugal

The FreeBird Club, e-bot e Pruvo são as startups estrangeiras que vão desenvolver o seu projecto em Portugal

 

The FreeBird Club (Irlanda), e-bot (Alemanha) e Pruvo (Israel) são as três startups seleccionadas pelo Turismo de Portugal e a Portugal Ventures, no âmbito do primeiro concurso da Organização Mundial do Turismo para as startups do sector, para receber um investimento de 300 mil euros para desenvolvimento dos seus projectos em território nacional.

Para a concretização destes projectos serão ainda disponibilizadas as instalações do Centro de Inovação do Turismo, na Covilhã, por um período máximo de 24 meses.


Dirigida ao segmento sénior, The FreeBird Club (Irlanda) é uma plataforma que permite “aos seus membros viajar e fica alojado junto de outros seniores, com os objectivos de contribuir para a mitigação do isolamento, da solidão e da insegurança financeira e para colmatar a falta de opções de viagem para este público-alvo.” Refere a nota de imprensa recebida


e-bot (Alemanha) é uma solução que, através de inteligência artificial, analisa mensagens inbound e oferece aos agentes sugestões de resposta “com níveis de precisão elevados, aumentando a eficiência dos serviços através da automatização de respostas a perguntas repetitivas e recorrentes.


Pruvo (Israel) é uma solução gratuita que, através do tracking de uma reserva online já realizada, de hotel ou agência de viagem, alerta o consumidor final de ofertas mais vantajosas relativas a essa reserva.

Portugal foi o único país com o estatuto de Invest Partner da OMT neste concurso, no qual participaram mais de 3.000 startups de 132 países.

As três startups seleccionadas terão agora de estabelecer a sua base operacional em Portugal e “a Portugal Ventures irá disponibilizar todo o apoio e acompanhamento para a concretização dos projectos.”

Avança-se assim mais um passo na concretização da Estratégia Turismo 2027, “que tem como objectivo consolidar Portugal enquanto hub internacional especializado para o sector do turismo,” passando a ser um país de referência na produção de bens e serviços para a actividade turística a nivel mundial.

Nos dois últimos anos foram apoiadas mais de 600 startups em 25 programas de aceleração por todo o país, representando um investimento superior a dois milhões de euros.

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, sublinha que “a estratégia que temos estado a desenvolver para afirmar Portugal como líder na inovação no turismo está a dar resultados. Vamos ter em Portugal três startups que ganharam o concurso mundial da Organização Mundial do Turismo a desenvolver os seus produtos, num ano em que vamos reforçar o orçamento dedicado à inovação no turismo em 50% para 1,5 milhões de euros”.


Por seu lado,  Rita Marques, CEO da Portugal Ventures “é uma enorme oportunidade para a Portugal Ventures a parceria com a Organização Mundial do Turismo e com o Turismo de Portugal. Trata-se de uma porta aberta para projectos turísticos maduros, promovidos por empreendedores estrangeiros, que desenvolvem as suas startups em ecossistemas internacionais. A captação destes projectos para Portugal é muito importante para afirmar o país no ecossistema global do empreendedorismo, trazer inovação para a oferta turística do nosso país e reforçar a competitividade das empresas do sector”.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade