Fim de Siglo conquista público do Queer Lisboa

.O Festival Queer na noite de ontem exibiu Fin de Siglo um filme de Lucio Castro argentino,


 Foi numa sla Manoel de Oliveira, com uma assitêncai muito razoável que foi exibido na noite de 23 de Setembro “Fin de Siglo”, do argentino  Lucio de Castro.

Trata-se de um filme de 2019 que nos dá a conhecer a história de dois homens que começa com um fortuito e meramente casual mas que se constata que atravessa décadas.

Javi e Ocho vivem uma relação que não querem que o seja, mas a ligação que fazem perdurar une-os de forma simples mas continua.

Ocho é  um argentino de férias em Barcelona, ​​que tem um encontro sexual casual com Javi um espanhol que vive em Berlim
Neste encontro meramente casual mas que revela intenso descobrem que já se conhecem há vinte anos quando ainda no “armário” tinham receio de assumir a sua homossexualidade.
E durante pouco mais de uma hora assistimos a um recordar dos momentos passados quando ainda viviam no “armário” e da sua vivência no momento quando libertos dos preconceitos e sobretudo dos medos.

O filme conta ainda com Mia Maestro, que interpreta Sonia, a noiva de Javi, quando Ocho e Javi se encontraram pela primeira vez. A interpretação é muito aceitàvel e a temática prende o interesse do espectador. Por vezes com o entrelaçr das memórias o espectador pode sentir-se um pouco perdido no fio da história.
O primeiro prémio ganho por “Fin de Siglo” foi em 2019, a 30 de Março no New Directors/New Films Festival.
O Queer Festival que termina sábado com a exibição de “The Watermelon Woman”, continua nesta seta feira com a exibição pelas 22:00 de “Garçon Chiffon”, do francês Nicholas Maury

Mídia

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade