A noite LGBT do Rio de Janeiro Rio torna-se "evidente numa reunião de diversas tribos"

A noite LGBT do Rio de Janeiro Rio torna-se "evidente numa reunião de diversas tribos"
Bar Combinado

O Rio de Janeiro ostenta belas paisagens naturais que se misturam com a agitação da segunda maior metrópole do Brasil, garantindo lifestyle único e imperdível.

 

Quando a noite cai, a cidade, que já foi eleita mais de uma vez como melhor destino para o turista LGBT da América Latina, tem "um roteiro de bares e festas de tirar o fôlego de cariocas e turistas", sendo que no Verão, as opções multiplicam-se.

A área escolhida pela comunidade LGBT da cidade é a rua Farme de Amoedo, em Ipanema, na zona Sul carioca, concentra muitos bares gays. É lá que "gringos e cariocas se reúnem para começar a noite em clima de azaração", refere a Rio Conventions & Visitors Bureau (RioCVB).

Mas para quem prefere uma versão mais económica, mas tão igualmente animada, pode fazer "um esquenta nos bares da rua Voluntários da Pátria, em Botafogo", também na zona Sul. Nesta rua a alegria e a diversidade do Rio tornam-se "evidentes numa reunião de diversas tribos. Não muito longe, o bar Combinado Carioca, no Humaitá, é outro point que bomba", explica a RioCVB.

A noite começou e é chegada a hora de partir para uma das tradicionais discotecas ou uma das dezenas de festas itinerantes que realizam edições mensais. A primeira opção é o Galeria, "um clássico da noite gay carioca, com alguns bons anos de existência na badalada Ipanema. A programação é variada de quarta a domingo. Um dos destaques é a festa Treta, às quartas-feiras". Outras dicas são a The Week, na zona Portuária. Mas se quer "enfiar o pé na jaca e viver uma noite bagaceira", vá para a 1401. Trata-se de uma "casa giga na Praça Seca, em Jacarepaguá, com vários ambientes" e mais de 20 anos de existência.

A lista de festas é grande e existem para todos os gostos. Chá da Alice, Boho, Funfarra, Balaia, V de Viadão, Tretona (a versão itinerante da festa realizada no Galeria), Vaca Profana, Sopa e Bagaceira são algumas das mais conhecidas e que ocorrem em espaços da zonas Sul e Portuária e no Centro. Mas para descobrir a programação dessas festas é preciso "ficar atento às redes sociais, uma vez que não têm data nem local definidos", salienta a RioCVB.

No Verão, quando o Carnaval começa a "esquentar os tamborins", alguns blocos voltados para o público LGBT também promovem festas. Tal como nas festas é o mesmo: "para aproveitar, é preciso ficar com atenção às redes sociais".

Entre os mais concorridos, Candybloco - "que promove festas com cerca de 10 horas de duração - Sai Hétero, Tome Conta de Mim, MUG e Sereias da Guanabara".

A RioCVB ressalva que "a diversão é livre e garantida".

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade