Agora pode viajar primeiro, nos transportes de Lisboa, e pagar depois

Agora pode viajar primeiro, nos transportes de Lisboa, e pagar depois
Turismo de Lisboa

Desde hoje que existe uma nova modalidade no cartão Lisboa VIVA, o VIVA Go, que permite a possibilidade de viajar primeiro e pagar depois.

 

Hoje sete operadores de transportes da região de Lisboa, incluindo Carris e Metropolitano, lançaram uma nova modalidade de pagamento do cartão Lisboa VIVA, que permite viajar em pós-pago, sem necessidade de efectuar carregamento prévio do título de transporte.

A OTLIS - Operadores de Transportes da Região de Lisboa e a SIBS, empresa que gere os pagamentos multibanco em Portugal, criaram o serviço VIVA Go no cartão Lisboa VIVA. Trata-se de "uma nova forma de pagamento da mobilidade segundo um modelo pós-pago, que debita directamente na conta bancária do titular o valor de cada viagem, apenas e quando efectuada".

Ou seja, segundo a OTILIS, "basta ao titular de um cartão Lisboa VIVA dirigir-se a qualquer uma das cerca de 12 mil caixas multibanco e ATM Express e efectuar a adesão automática, associando o seu cartão bancário ao cartão de transporte Lisboa VIVA", salientando que a adesão ao serviço VIVA Go vai permitir viajar sem necessidade de um carregamento prévio do título de transporte, seja passe ou 'zapping'.

A modalidade de pagamento VIVA Go pode ser utilizada nos sete operadores de transportes que integram a OTLIS, nomeadamente Carris, CP-Comboios de Portugal, Fertagus, Metropolitano de Lisboa, Metro Transportes do Sul do Tejo, Transtejo e Softlusa.

A OTLIS revelou ainda, em comunicado, que "actualmente existem dois milhões de cartões Lisboa VIVA em circulação, que podem ser utilizados em 24 operadores de transporte", revelou a OTLIS, indicando que esta nova solução de pagamento pode, "a médio prazo, ser alargada aos restantes operadores de transporte".

Direccionada a viagens ocasionais, a nova modalidade de pagamento pode coexistir num mesmo cartão Lisboa VIVA com os habituais passes ou 'zapping' carregados, "funcionando o VIVA Go como alternativa sempre que não existam outros contratos tarifários válidos no tempo e no espaço pretendido".

O comunicado refere ainda que "os sistemas dos operadores darão prioridade aos títulos de transporte destinados a uma utilização frequente, como os passes carregados e não à modalidade VIVA Go".

Na perspectiva dos sete operadores de transporte da região de Lisboa, com a solução VIVA Go, "milhares de passageiros ocasionais vão poder aceder aos transportes públicos sem terem que se preocupar em adquirir previamente um título de transporte, poupando tempo e ganhando em comodidade, pagando à medida da utilização".

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade