AHRESP propõe medidas face à situação criada pela pandemia Covid 19

A AHRESP defende a necessidade de aplicação temporária da taxa reduzida de IVA nos serviços de alimentação e bebidas.



 A AHRESP defende a necessidade de aplicação temporária da taxa reduzida de IVA nos serviços de alimentação e bebidas como uma medida da maior relevância no apoio indirecto à tesouraria das empresas.

Deste modo é urgente a sua aplicação no âmbito do Orçamento de Estado para 2021, pelo que a AHRESP apresentará nesta sexta-feira, 16 de Outubro, “um estudo sobre o impacto da aplicação temporária da taxa reduzida de IVA a todo o serviço de alimentação e bebidas, realizado pela consultora internacional PwC (PriceWaterhouseCoopers).


Apresentado que foi o Plano de e oficialmente à Comissão Europeia, a AHRESP “considera que o Turismo e as suas empresas, que representam os sectores mais impactados pela Covid 19, não podem deixar de merecer a máxima atenção do governo português na implementação de um plano específico.

E AHRESP esclarece e revela informações e esclarecimentos relativos à situação que se vive:

o    Portugal regressa à situação de calamidade já a partir de hoje, 15 de Outubro


o    Proposta para uso obrigatório de máscara comunitária nos espaços ao ar livre


o    Requerimento do plano prestacional de contribuições diferidas para trabalhadores independentes já disponível


o    Livre circulação viajantes na Europa


o    Plano de Recuperação e Resiliência

Neste caso, a AHRESP defende a necessidade de “aplicação temporária da taxa reduzida de IVA nos serviços de alimentação e bebidas como uma medida da maior relevância no apoio indirecto à tesouraria das empresas”.

Deste modo é urgente a sua aplicação no âmbito do Orçamento de Estado para 2021, pelo que a AHRESP vai apresentar esta sexta-feira, dia 16 de Outubro, um estudo sobre o impacto da aplicação temporária da taxa reduzida de IVA a todo o serviço de alimentação e bebidas, realizado pela consultora internacional PwC (PriceWaterhouseCoopers).


O Plano de Recuperação e Resiliência já apresentado publicamente em Lisboa e também o será à Comissão Europeia.

Apesar de algumas medidas positivas, a AHRESP considera que o Turismo e as suas empresas, que representam os sectores mais impactados pela Covid 19, não podem deixar de merecer a máxima atenção do governo português na implementação de um plano específico.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade