TheFork em incumprimento legal e sem nenhuma regulamentação

TheFork em incumprimento legal e sem nenhuma regulamentação
Divulgação

A aplicação TheFork vila as normas da Protecção de Dados, das comunicações telefónicas e não existe nenhuma autoridade em Portugal que a faça cumpri-las.

A aplicação que permite descontos em restaurantes e acumular pontos para deduzir em refeições, TheFork, tem sede em Paris.

Quando surge alguma questão que precise de resolver, contacta por chat. Em casos especiais contactam o cliente por telefone, não informando que a chamada irá ser gravada.

Segundo a legislação "não se impede as gravações legalmente autorizadas de comunicações (...) desde que o titular tenha sido disso informado e dado o seu consentimento".

Outro ponto importante é a "Politica de Privacidade", em que "foi actualizada pela última vez a 25 de maio de 2018", mas que no entanto "podemos alterar a qualquer momento", sem qualquer aviso prévio.

Ou seja "solicitamos que o utilizador a consulte regularmente para se manter informado sobre possíveis actualizações", descartando qualquer responsabilidade e estando em incumprimento.

O TheFork pode "partilhar os dados pessoais dos utilizadores com outras entidades, incluindo outras empresas do grupo e terceiros, como restaurantes, sites ou aplicações afiliados e prestadores de serviços que actuam em nosso nome, e, mais genericamente, qualquer um dos nossos parceiros de negócios ou fornecedores".

Mas "no caso de vendermos ou alienarmos a nossa empresa ou parte da mesma e os dados pessoais do utilizador estiverem relacionados com a referida parte vendida ou alienada, ou no caso de fusão da nossa empresa com outra, partilharemos os dados pessoais do utilizador com o novo proprietário da empresa ou com o nosso parceiro de fusão, respectivamente".

Ou seja mais um incumprimento, uma vez que o Regulamento de Protecção de Dados refere que "o tratamento só é lícito se e na medida em que se verifique que o titular dos dados tiver dado o seu consentimento para o tratamento dos seus dados pessoais para uma ou mais finalidades específicas".

Alguns comerciantes para não pagarem a comissão, informam a empresa que o mesmo não compareceu. Assim não pagam a comissão, mas o cliente também não recebe os pontos relativos à sua comparência no estabelecimento.

Para comprovar, perante o TheFork, a presença apenas serve a factura da refeição. Não existindo a mesma, o cliente não recebe os seus pontos. De salientar que o crédito é feito três dias após a comparência no restaurante.

Nas regras da aplicação não está referido em lado nenhum que em caso de litígio, o cliente perde para o comerciante.

Uma vez que a empresa que está por de trás da aplicação é a empresa La Fourchette SAS, em Paris.
Para concluir, ao usar a aplicação TheFork traga sempre a factura. Pois em caso de litígio, só a factura é válida.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade