O Terraço do Marquês conta-lhe a história dos pratos que o deliciam no Natal

Desde o bacalhau, passando pelo peru e não esquecendo o galo capão, há histórias exóticas e surpreendentes que acompanham a escolha destes ingredientes.


 Deixe-se surpreender e se está indeciso quanto à escolha do prato para a ceia de Natal siga as sugestões do Terraço do Marquês.

Falta um mês para o Natal, até menos, convém pensar nas refeições para essa data.

De norte a sul são múltiplos os pratos típicos da época quer salgados quer doces dificultando, talvez ou não, a escolha.
No entanto e por sugestão do Terraço do Marquês se soubesse o significado de alguns dos pratos a sua escolha estaria facilitada?. Será isso viável?
Seguem as sugestões. Experimente
 

  1. Bacalhau Espiritual – Do prato mais barato a uma longa tradição, embora “o barato… já era”

O bacalhau é, sem dúvida, um dos grandes “must have” do Natal. Na ceia de Natal manda a tradição portuguesa que se coma bacalhau com batatas e couves cozidas, regado com um bom azeite extra-virgem – ou, então, bacalhau espiritual. Esta tradição iniciou-se na Idade Média, com o calendário cristão, onde as pessoas faziam jejum na altura das principais festas católicas. Uma vez que comer carne era proibido até ao almoço de dia 25 e o peixe mais barato era o bacalhau... a tradição ficou!

  1. Perú Assado – Tradição desde 1621

Apesar de serem marcadas por tradições familiares que podem variar bastante de acordo com os costumes dos lares, as ceias de Natal normalmente trazem alguns ingredientes básicos que reforçam a ideia de um jantar especial e um deles é, sem dúvida, o peru. E a explicação prende-se na sua utilização nos Estados Unidos, aquando do Dia de Ação de Graças. Supostamente, a primeira vez em que o peru se tornou num prato comemorativo foi em 1621, quando peregrinos e nativos norte-americanos comemoraram uma grande colheita na época. A ave, robusta e composta por uma grande quantidade de carne, foi então considerada então um símbolo de fartura – que perdura até aos dias de hoje.

  1. Galo Capão Assado – Um delicioso acaso

A história do Galo Capão remonta até à época dos Romanos da Antiguidade, onde o Cônsul Caio Cânio, cansado da perda do sono por causa do cantar dos galos, conseguiu fazer aprovar uma lei impeditiva da existência destas aves na cidade de Roma. Para não contrariar a lei mas continuar a criar os seus galos, alguém decidiu capá-los para que deixassem de cantar. A verdade é que este acto torna o animal gordo, opulento e dotado de uma carne tenra e considerada das mais saborosas de todas as aves.

  1. Lombo de Porco Recheado com Farinheira ou Legumes – Para os que querem variar

A carne de porco está presente em muitos menus de Natal e aparece sobre as mais diversas formas. A verdade é que lombo recheado é a receita perfeita para quem quer variar dos pratos habituais e criar uma ceia deliciosa para agradar a toda a família. Embora não se perceba exactamente quando é que começou a ser uma verdadeira tradição de Natal, é escolhido especialmente por quem quer seguir uma linha mais leve de refeição, tendo um baixo teor calórico, sendo rico em vitaminas e minerais e extremamente fácil de preparar.

Agora a escolha é sua

Até ao próximo dia 14 de Dezembro o Terraço do Marquês aceita encomendas para todos estes pratos em regime take-away, a serem entregues na véspera de Natal. Desfrute de um Natal em família sem preocupações e com os mais deliciosos pratos.

As reservas deverão ser efetuadas através dos contactos directos do espaço, através do telefone 210 107 411

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade