Conheça as lendas mais fantásticas de Malta

Malta é um arquipélago onde a lenda domina as gentes fruto de uma história de mistério


Malta é um país repleto de histórias em todos os recantos das suas ilhas, com as histórias fantásticas se instalam em cavernas, catedrais, fortificações, túneis e camaras subterrâneas.

São mitos e lentas centenárias, difíceis de conceber, que transformam este arquipélago num lugar fascinante. 

Forte Ricasoli

Il-Hares é a personagem assustadora que assombra esta fortificação. Segundo a lenda, Il-Hares revelou a dois homens a localização de um tesouro com a condição de guardarem segredo. Ignorando a contrapartida, os dois aventureiros não seguiram a condição imposta, tendo divulgado a outros a existência do tesouro. Ao voltarem ao local, em vez que ouro encontraram apenas carvão. Il-Hares reapareceu para se vingar da deslealdade.

Hipogeu

Uma recente lenda, da década de 1930, paira sobe este monumento. De acordo com a mesma, um trabalhador da embaixada britânica, Lois Jessup, estava a visitar o lugar com um grupo de amigos. Após o final de uma visita guiada, Lois e o restante grupo decidiram continuar a explorar a gruta por conta própria. Ao chegarem a um fosso, todos os presentes garantem ter visto um grupo de gigantes a caminhar pelo fosso da caverna.


Forte de São Ângelo

Este monumento é um dos locais mais importantes da herança militar maltesa. Quando os Cavaleiros da Ordem de São João chegaram à ilha, em 1530, o forte tornou-se a sede do Grão-Mestre da Ordem e desempenhou um papel muito importante durante o Grande Cerco. Perto do monumento, soldados otomanos foram decapitados e a cabeças usadas como balas de canhão.

Os habitantes da ilha acreditam que o Forte, e imediações, estão assombrados com os espíritos dos soldados otomanos que caíram no cerco.


Catedral de São Paulo, Mdina, Malta

Conta a história do navio onde São Paulo se encontrava prisioneiro, a caminho de Roma, que naufragou na costa de Malta.
Foi este apóstolo o responsável pela introdução da religião Católica no equipétalo.

Segundo a tradição, São Paulo refugiou-se, após o naufrágio, em cavernas subterrâneas que agora são conhecidas como Catacumbas de São Paulo, em Rabat. Posteriormente, o apóstolo foi convidado para a casa de Publio, em Mdina, a mais alta autoridade romana das ilhas. Foi naquele lugar que São Paulo o curou de uma febre severa. Acredita-se que Publio, após tal feito, se converteu ao cristianismo e foi nomeado o primeiro bispo de Malta. A Catedral de Mdina foi construída no local onde se localizava a sua casa.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade