TUR4all, uma plataforma internacional de Turismo acessível

 Olhando o mundo em que as necessidades especiais, permanentes ou temporárias, são uma constante foi necessário criar uma plataforma na área do Turismo acessível.

 

Deste modo, a Accessible Portugal, a Fundação Vodafone Portugal e o Turismo de Portugal com o apoio da ENAT - European Network for Accessible Tourism, e contando com a colaboração da PREDIF em Espanha, e o apoio da Fundação Vodafone Espanha, “convergiram vontades no sentido de criarem a primeira plataforma ibérica na área do turismo acessível – a TUR4all.” 

A TUR4all é uma ferramenta digital – site e aplicação móvel – de promoção do turismo acessível e inclusivo.

Esta plataforma permite uma consulta à oferta turística de Portugal e TUR4all -.

Esta plataforma permite uma consulta à oferta turística de Portugal e Espanha, disponibilizando informação objectiva e actualizada sobre as condições de acessibilidade para todos nos hotéis, monumentos e museus, a existência de transportes adaptados, restaurantes com menus em braille, entre outras. Além disso, permite também a interação em torno da mesma pois pode ser avaliada e comentada pelos próprios utilizadores.

Em 2005, a Comissão Europeia, publicou um guia "Melhorar a informação sobre o turismo acessível para pessoas com deficiência", estabelecendo a necessidade de os estabelecimentos turísticos serem acessíveis para avançar para um modelo mais democrático e mais justo da sociedade e para o turismo universal. O guia fornecia orientações para os estabelecimentos e destinos turísticos com informações básicas e indispensáveis para clientes com deficiências e com necessidades de acessibilidade, em geral.


Em 2012, a Comissão Europeia efectuou três Estudos sobre Turismo Acessível, nos quais foi analisada a Procura, a Oferta e as Necessidades de Formação Profissional em Turismo Acessível. Estes foram publicados em 2014 e são à data, a informação científica mais recente produzida. Portugal surge mencionado com algumas boas praticas nesses mesmos Estudos.


Ao selecionar um destino turístico, cidade, região ou país, as pessoas com necessidades especiais precisam recolher todas as informações que lhes permitam efectuar escolhas conscientes face ao destino e recursos a escolher nesse destino durante toda a viagem. São necessárias informações sobre todas as atividades que compõem a experiência turística: transportes, infraestruturas, alojamento, restaurantes e alimentação, actividades de animação turística e de lazer, etc. 

As necessidades de pessoas com deficiência e idosos estão também reflectidas no estudo publicado pela AMADEUS em Outubro de 2017, "Viagem de descoberta: trabalhando juntos para uma viagem inclusiva e acessível". O estudo revela que nem o setor de viagens nem o setor público respondem plenamente às necessidades destes clientes.

O estudo foi realizado nos EUA, Europa e Índia, através de mais de 800 entrevistas com turistas com necessidades de acessibilidade, bem como com especialistas do sector turistico, representantes dos sectores público e privado e instituições internacionais.  A segmentação dos turistas para o estudo baseou-se nas deficiências visuais, auditivas, cognitivas e físicas|motoras, e em turistas com mais de 65 anos de idade.

De acordo com o relatório, informações erradas ou incompletas e a falta de um serviço qualificado junto dos clientes continua a ser um dos maiores obstáculos para que uma viagem acessível corra bem.
O relatório também reflecte que os turistas com necessidades especiais esperam cada vez mais que sejam disponibilizados serviços específicos para dar resposta às suas necessidades como parte dos serviços comuns prestados aos clientes. O papel que a tecnologia desempenha nestas situações é cada vez mais importante, e os avanços específicos do tema da acessibilidade começam a ser vistos como habituais.

A concepção da TUR4all A PREDIF (Plataforma Representativa Estatal de Personas con Discapacidad Física) – Espanha - criou em 2004 um sistema para medir e avaliar a acessibilidade em estabelecimentos, actividade e itinerários turísticos. Este sistema foi concebido em colaboração com várias entidades que representam colectivos de pessoas com diversos tipos de deficiência, tendo também participado diferentes profissionais do setor do turismo.

O sistema que está na base da TUR4all inclui critérios de acessibilidade física, visual, auditiva, cognitiva e outras necessidades de acessibilidade, por exemplo, alergias, intolerâncias alimentares e outras.


Até 2016, a TUR4all era uma aplicação e uma rede de consulta de informações, mas os utilizadores da mesma não tinham a possibilidade interagir, através da sua própria avaliação e recomendações. Considerou-se importante alavancar o projeto e fazer evoluir a TUR4all para uma comunidade de utilizadores ativos e turistas com necessidades de acessibilidade como prescritores de turismo acessível.

Fim do Ano

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade