Presidente da Comissão Europeia, propõe suspensão temporária da circulação não essencial

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, propôs esta segunda-feira “a suspensão temporária da circulação não essencial para a União Europeia”.

Para a dirigente europeia é necessária a criação de "vias verdes/rápidas para dar prioridade ao transporte essencial", por forma a "assegurar a continuidade económica".

Por outro lado, mas de forma temporária, devem restringir-se "todas as viagens não essenciais para a União Europeia (30 dias)", afirmou, em Bruxelas, a presidente do executivo comunitário, Ursula von der Leyen.


Em videoconferência com o grupo dos países mais industrializados do mundo (composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), e do qual faz também parte a UE, a presidente da Comissão Europeia salientou que "estas viagens não essenciais devem ser reduzidas de forma a não propagar mais o vírus dentro da UE, [...] mas também para não colocar mais pressão sobre o sistema de saúde".

"Claro que haverá exceções, por exemplo para os cidadãos da UE que queiram regressar a casa, para os trabalhadores dos sistemas de saúde - como médicos, enfermeiros e também cientistas que estão a trabalhar numa solução para esta crise -, e ainda para residentes e trabalhadores fronteiriços", referiu Ursula von der Leyen.

Acrescentou ainda que a proposta desta restrição será em princípio aplicada "por um período inicial de 30 dias".


Também presente na ocasião, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, apontou que "a filosofia" da UE passa por tentar "reduzir movimentos desnecessários dos cidadãos, ao mesmo tempo que se garante que os bens essenciais circulam livremente, para preservar o mais possível a integridade do mercado único".

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade