Mercado das viagens de luxo vai crescer substancialmente este ano

por: Tomás Ribeiro da Silva
Mercado das viagens de luxo vai crescer substancialmente este ano
Panrotas

Devido à pandemia Covid-19, tem se notado um influxo da tendência para estas viagens. Isto faz com que haja um aumento no segmento alto do mercado, dos serviços de aviação privada, trabalho remoto a partir de locais no estrangeiro e procura de aquisições privadas de grandes vilas ou estadas em boutique hotéis, segundo revela a GlobalData.

No último relatório da “Luxury Travel Market Trend and Analysis of Traveller Types, Key Destinations, Challenges and Opportunities, 2022 Update” foi revelado que enquanto os viajantes de luxo procuram as suas viagens a nível interno ou externo, estão também à procura de experiências mais imersivas e mais excepcionais do que nos anos anteriores.

Hannah Free, analista das Viagens e Turismo da GlobalData, comentou: "Com os viajantes determinados a compensar o tempo perdido, 2022 poderá assistir-se a um aumento nos orçamentos de férias no segmento dos viajantes de luxo, com um aumento na procura de aventuras "uma vez na vida". De acordo com uma sondagem efectuada pela GlobalData, quando se perguntou aos inquiridos se os seus orçamentos de férias tinham mudado devido à COVID-19, 16% relataram que os seus orçamentos eram "muito mais elevados do que antes da COVID-19", enquanto 12% dos inquiridos afirmaram que os seus orçamentos eram "ligeiramente mais elevados do que antes da COVID-19".

Mesmo com o aumento neste tipo de viagem, existe um grupo crescente de consumidores de alto nível que mostram-se mais conscientes e rejeitam exibições ostensivas de riqueza, em favor de um consumo discreto e responsável. Esta forma de agir faz com que assente em regras de ética da vida, na procura de algo mais tradicional e ainda a pensar na autenticidade e na sustentabilidade.

A experiência obtida é o que motiva os turistas, que procuram mais auto-realização através de viagens mais amigas do ambiente e férias mais ecológicas, desejando ao mesmo tempo  “fazer bem” às pessoas e ao planeta.

Se o mercado de luxo não incorporar estas novas tendências, está sujeito a ser desconectado dos consumidores que investem no mesmo.

Segundo o comunicado "Embora a COVID-19 tenha mudado muitos aspectos das viagens de luxo, ainda existem várias características que o distinguem do turismo de massas, onde sobressai a hiperpersonalização, exclusividade, experiências únicas, serviços opcionais intuitivos e o sempre importante factor 'toque humano'".

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade