Bloco que homenageia Caetano Veloso faz ode ao amor livre no Carnaval de São Paulo

Bloco que homenageia Caetano Veloso faz ode ao amor livre no Carnaval de São Paulo
Daniel Medici/ G1

Música-tema do Tarado Ni Você este ano foi 'Vaca profana'. Público investiu em fantasias provocativas e curtiu repertório do compositor baiano sob forte calor.

 

Chifres, pernas e seios de fora profanaram, no bom sentido, o Centro de São Paulo neste sábado, no desfile do bloco Tarado Ni Você, noticiou o G1.

O grupo, que exalta Caetano Veloso, sempre escolhe uma música do cantor baiano para compor seu tema. Em 2018, a escolhoda foi "Vaca Profana".
O tema, Profane, estimulou foliões a tomar as ruas com fantasias provocativas. Diabinhas, deuses gregos e adereços de couro foram os hits.

"Esse desfile é pra mostrar que somos livres, que não precisamos ser iguais
", foram as palavras dos organizadores do trio antes de começar o desfile.
"É um ano pra combater a tentativa que está aí de cercear a liberdade", diz o porta-estandarte do bloco Cristiano Collyer.

Em seu momento mais político, o Tarado mirou na bancada religiosa e em movimentos que criticaram exposições de arte com nudez ou temas sexuais. "Ninguém vai dizer pra gente o que é sagrado e o que não é", gritou o vocalista, sob aplausos. Gritos de "Fora, Temer" também foram ouvidos.

Com muito Caetano no som, só não foi atrás do trio elétrico quem já morreu - como diz a letra de um dos hits. A multidão foi tanta que, como é de costume nas passagens do bloco, fazer o caminhão dobrar as esquinas do Centro foi um sufoco.

O momento mais tenso foi, como não poderia deixar de ser, na esquina da Av. São João com a Ipiranga. A música foi interrompida pro cantor pedir passagem. Ambulantes e a cervejaria patrocinadora do evento receberam vaias por ficarem no meio da rua, e não na calçada, como previamente combinado com a Prefeitura, segundo a organização do bloco, conforme noticiou o G1.

Árvores e fiação de trólebus também dificultaram a evolução na Av. São Luís. Placas de trânsito forçaram pequenos desvios do trio, sem maiores incidentes.

Outras curvas estreitas, como no contorno do Teatro Municipal, tiveram melhor organização e menos tumulto.

A música, em alto em bom som, não decepcionou, e o empurra-empurra não perturbou o clima de paz. Foi um desfile profano, mas de muito respeito também.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade