Presidente da Região de Turismo do Algarve reage a criação de voos a partir do Porto

Desidério Silva, Presidente da Região de Turismo do Algarve, reage a criação de voos da TAP para e a partir do Porto, lembrando que o Algarve também precisa de mais um impulso nesse sentido.


“TAP e o Governo têm de olhar para o Algarve” é o título de um comunicado do Presidente da Região de Turismo do Algarve, lembrando que o pais ficaria ainda mais equilibrado se “de uma vez por todas, a TAP e os gestores pensassem pelo menos uma vez no Algarve e no que ele representa”.

E recorda que “perto de 40% das receitas do turismo nacional e um aeroporto que este ano atingirá perto de 9 milhões de passageiros e que está ligado a mais de 80 cidades (estranho é que a sua companhia de bandeira represente apenas cerca de 3% do total movimentado).”


Perante algumas situações anómalas que se verificam, Desidério Silva afirma: “Não exigimos uma ponte aérea, como para o Porto, mas exigimos a redução dos tempos de espera em Lisboa de um voo para Faro: quatro a seis horas não é aceitável nos tempos modernos, para mais num país que acabou de ganhar o título de melhor destino turístico do mundo.


E em tom determinado e sobretudo orgulhosos da região de Turismo a que preside, termina:
A TAP tem de olhar para o Algarve com respeito e operacionalizar os meios necessários de modo a dar respostas objectivas, com vista a honrar esta região e a sua economia. Todos os governos têm olhado para o lado em relação a este assunto. É agora altura de o poder político respeitar o Algarve e os algarvios e de colocar a nossa companhia de bandeira a servir o Algarve e o país.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade