Depois do Porto, Gaia anunciou tolerância de ponto no Carnaval

O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, revelou hoje à Lusa que vai dar tolerância de ponto no Carnaval para não "misturar" esta questão "no debate sobre a crise", apesar da indicação do Governo em contrário.

"Num clima em que as pessoas estão a ser até emocionalmente esmagadas por todo o lado em termos económicos, sociais e de autoestima, acho que dias como o Natal, o Carnaval, a Páscoa, e até algumas evocações mais republicanas, não podem ser misturados neste debate muitas vezes hipócrita da crise e das dificuldades económicas", disse à Lusa Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca socialista considerou o dia de Carnaval "simbólico", até porque, segundo defendeu, "é um dia em que pode haver uma coabitação entre pais e filhos porque as escolas estão fechadas".

"É muito triste verificar a insensibilidade que existe para estas questões. Respeito as opções do Governo e de quem fizer diferente, mas não concordo e, no âmbito das minhas competências, dou tolerância de ponto", concluiu Vítor Rodrigues.

O ministro da Presidência e Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, confirmou ontem que o Governo mantém para este ano o princípio de não conceder tolerância de ponto no Carnaval, dando a entender pouca abertura para alterar a situação após a saída da troika.

"Não há nenhuma alteração relativamente à posição que o governo deixou claro já vai para dois anos", declarou Marques Guedes em conferência de imprensa no final da reunião do Conselho de Ministros.

No ano passado, Marques Guedes, então como secretário de Estado da Presidência, havia dito que a não tolerância de ponto seria um princípio a manter-se pelo menos durante a aplicação do programa de assistência financeira, que finda este ano.

Questionado sobre uma eventual mudança de posicionamento após o fim do programa de resgate, o agora ministro advertiu para o facto de o país "já ter percebido" que os desafios que há pela frente "são desafios exigentes" e não é possível "deixar de continuar a trabalhar para os vencer".

O Governo tomou pela primeira vez a decisão de não dar tolerância de ponto aos funcionários públicos no Carnaval em Fevereiro de 2012, com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a argumentar que "ninguém perceberia" que tal acontecesse numa altura em que o Executivo se propõe acabar com feriados.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade