O futuro começa hoje

O futuro começa hoje
Hugo Teixeira Francisco

Começou no dia 01 de Novembro e acaba hoje, dia 04, a Web Summit. Se ainda não ouviu falar da Web Summit, é um dos mais importantes eventos mundiais de tecnologia, empreendedorismo e inovação.

Depois da passagem para o digital em 2020, Lisboa volta a ser a casa da Web Summit física e, por esse motivo, milhares de pessoas de diferentes países do mundo, estão neste momento em Lisboa a discutir o futuro da tecnologia, Internet, inteligência artificial, mas também marketing, inovação e empreendedorismo.

A Web Summit tem sido palco de palestras fantástica, apelidadas no meio como “talks”, de figuras públicas, empreendedores, gestores e CEO´s, que vão falar das suas empresas e dos seus negócios. Marcaram presença também o Ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. que destacou que Portugal é “um país para investir” e para “criar negócios” e mesmo apesar da pandemia “não ficou parado” no que aos temas da transição climática e transição digital diz respeito.

Também o novo Presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, marcou presença na Web Summit, regressando ao tempo de comissário europeu e discursando para uma plateia de milhares de pessoas. O discurso foi virado para o futuro e para o deseja de Lisboa ir para além do evento e conseguir captar algumas das empresas que estão presentes no evento, sendo mesmo apelidada por Moedas de uma futura “fábrica de unicórnios”. Este termo caracteriza empresas com uma avaliação de pelo menos mil milhões de dólares, sendo que há quatro empresas destas nacionais, a Farfetch, OutSystems, Talkdesk e, mais recentemente, a Feedzai.

Mas não só de políticos empreendedores se faz a Web Summit, e este ano, e resultado da pandemia que ainda nos assola, marcou também presença o Vice-Almirante Gouveia e Melo, que abordou como decorreu o processo de vacinação contra a COVID-19.

Claro que, como qualquer grande evento, como se de um festival de verão se tratasse, a “cabeça de cartaz” deste ano foi Frances Haugen, a mais recente denunciante do Facebook, que esteve na feira de tecnologia onde voltou a criticar duramente a empresa de Mark Zuckerberg , afirmando haver pouco interesse por parte do grupo Facebook, agora apelidado de META, em pôr fim ao discurso de ódio e propagação de informações falsas.

A Web Summit é assim um local que oferece algo para toda a gente. É um local de networking, de compra e de venda, de experimentação e inovação. Fazem-se mais negócios nas festas “à volta” desta feira, do que no próprio certamente. Estes quatro dias em Lisboa são uma espécie de “orgia” de encontros bilaterais que geram milhões. Acima de tudo faz muito bem ao ecossistema empreendedor português e dá “boa imprensa internacional” a Portugal. A Web Summit está para a tecnologia e empreendedorismo como a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) está para o turismo! Sendo que o único ponto em comum é ambos se realizarem no parque das nações.

O “futuro começa hoje” em Lisboa e em Portugal, e no próximo ano estará de regresso, com base num avultado incentivo estatal para a sua realização. Será muito importante haver possibilidade de capitalizar toda esta dinâmica e inovação para o tecido empresarial e empreendedor de Portugal, de forma à Web Summit de fato conseguir ficar em Portugal, 365 dias por ano.  

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade