Derrocada no Brasil pode ter causado a morte a mais de dez pessoas.

Derrocada no Brasil pode ter causado a morte a mais de dez pessoas.
Brasil Furnas

Na sequência do desabamento de um penhasco, junto ao lago das Furnasno estado de Minas Gerais, no Brasil, que caiu sobre barcos de recreio, pelo menos seis pessoas morreram e há cerca de vinte desaparecidos.


Edgard Estevo, comandante dos bombeiros de Minas Gerais, explica que estão a ser feitas buscas tanto à superfície como na água, com a ajuda de mergulhadores. Disse ainda estar a trabalhar em estreita colaboração com as famílias e com as testemunhas.


Acredita-se que o acidente tenha ocorrido na sequência das chuvas torrenciais que varreram o estado durante vários dias e fizeram 17 mil deslocados. A Marinha brasileira está a investigar para apurar as causas.

  
Acidente aconteceu no Lago de Furnas, na região Centro-Oeste do Estado brasileiro de Minas Gerais.Retomadas buscas em lago de Minas Gerais após queda de rochedo

As operações de buscas pelas três pessoas desaparecidas após a queda de uma parede rochosa de um desfiladeiro num lago em Minas Gerais, Brasil, e que atingiu vários barcos de recreio, foram hoje retomadas, adianta a agência EFE.

O acidente ocorreu cerca das 11:00 locais (14:00 em Portugal continental) no Lago Furnas, um ponto turístico no município de Capitólio, quando um grande bloco de pedra caiu de uma altura de cinco metros sobre três embarcações, havendo sete mortos confirmados e 30 feridos.

Nas operações de buscas, refere a EFE, participam membros dos bombeiros, da marinha e da polícia.

Um vídeo que circula nas redes sociais, cuja autenticidade foi confirmada à EFE pelos bombeiros, mostra o momento em que a enorme rocha se separa da parede do desfiladeiro e atinge quatro barcos que estavam no Lago Furnas.

O número de pessoas desaparecidas foi inicialmente estimado com base em testemunhos, agências turísticas e familiares, disse o corpo de bombeiros.

As autoridades acreditam que a chuva intensa que caiu nos últimos dias no sudeste do Brasil contribuiu para o acidente.

A localidade de Capitólio, a cerca de 280 quilómetros de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais (sudeste), é um destino turístico durante todo o ano pelos seus impressionantes desfiladeiros, que podem ser visitados em passeios de barco.

 

O desabamento de pedras no cânion ocorreu por volta das 12h30, e atingiu quatro embarcações que estavam na área. As pedras deslizaram de uma altura de mais de 5 metros, no Condomínio Escarpas do Lago, perto do município de São Roque de Minas.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou 8 mortes pelo deslizamento. As vítimas são 3 mulheres e 5 homens, informou o delegado de Capitólio; ninguém foi identificado ainda.

O coronel dos bombeiros Edgard Estevo disse, primeiramente, que a estimativa era que 20 pessoas estivessem desaparecidas. Entretanto, em entrevista para a EPTV, afiliada Globo, o tenente Pedro Aihara afirmou que eram três pessoas desaparecidas, e que eles conseguiram contato com as outras vítimas. Na manhã deste domingo (9), o corpo de um desses três desaparecidos, um homem, foi localizado pelas equpas

Salientou ainda que as buscas continuam e as informações são preliminares. De acordo com o coronel, 40 bombeiros e mergulhadores estão no local do acidente.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, 32 pessoas foram atendidas por causa do acidente, a maioria com ferimentos leves.

Dessas, 27 foram atendidas e liberadas: 23 delas da Santa Casa de Capitólio e outras 4 da Santa Casa de São José da Barra, a 46 km de Capitólio.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade