Zoomarine - o fim das férias e o regresso... dos cágados

O Zoomarine cumpre uma tradição com cerca de 20 anos, mas é sempre uma despedida com toda a emoção e simbologia, o regresso dos cágados ao mar.


O mesmo irá acontecer com cinco cágados que, em 2019, 2020 e 2021, estiveram em reabilitação, no Porto d’Abrigo do Zoomarine (Centro de Reabilitação de Espécimes Aquáticos). Para eles o mês de Setembro significará exactamente um regresso– “porque será no dia 09 de Setembro que este grupo de quelónios regressará ao meio selvagem, para uma segunda etapa de vida independente”.

Sem dúvida que se trata de uma tradição com cerca de 20 anos, mas é sempre uma despedida com toda a emoção e simbologia que a mesma encerra.

É um “adeus” depois de muitos e diferentes desafios clínicos (que, não raras vezes, podem custar a vida a tão especiais seres vivos); e simbólico, porque representa a luta quase utópica pelo combate “às crescentes ameaças diárias que os humanos (consciente ou inconscientemente) criam, um pouco por todo o Mundo, a tão extraordinários animais”.

Os cinco exemplares (Picasso, Quasimodo, Ramil, Splinter e Switch) pertencem às duas espécies endémicas de cágados em Portugal: Mauremys leprosa e Emys orbicularis, respectivamente, o cágado-mediterrânico e o cágado-de-carapaça-estriada (Switch).

Portanto, são todos exemplares de espécies com estatuto de conservação – ou seja, “espécies ameaçadas de extinção (a médio ou longo prazo)”.

Tal situação explica os múltiplos cuidados e esforços de reabilitação e conservação. Os pesos, tamanhos e histórias destes cágados variam imenso – mas em comum têm a vitória sobre tempos adversos e dificuldades injustas. “E se há coisa que a presente Pandemia nos tem ajudado a perceber, é a importância de não desistir, e sempre lutar para tentar ultrapassar as adversidades da vida” refere o comunicados do Zoomarine.

Chegada esta etapa, resta agradecer a todos os que [a título individual e institucional] contribuíram, de uma forma ou de outra, para mais estas histórias de sucesso.


E a mesma nota termina de forma emotiva desejando aos “meninos”  que agora regressam ao seu habitat “Entretanto, muito boa sorte, Picasso, Quasimodo, Ramil, Splinter e Switch! Que a “nova aventura destes 05” vos proporcione vidas tão longas quanto possível, e que os nossos destinos nunca mais se cruzem (porque será sinal de uma reabilitação com sucesso a todos níveis).

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade