Portugal e Brasil ficaram mais pobres com a morte de Roberto Leal

Um dos cantores mais mediáticos da últimas décadas, Roberto Leal, morreu aos 67 anos.

 

A notícia foi avançada por José Cesário, ex-secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local.

José Cesário refere que o artista morreu esta madrugada e sublinhou que o país "ficou mais pobre" com o seu desaparecimento.


O artista português, conhecido pelos êxitos "Arrebita" e "Uma Casa Portuguesa", lutava contra um cancro há dois anos.

Roberto Leal era considerado um dos embaixadores da música e da cultura portuguesas no Brasil, onde vivia.


O cantor nasceu em Vale da Porca, concelho de Macedo de Cavaleiros, a 27 de novembro de 1951. Aos doze anos emigrou para o Brasil, juntamente com os pais e nove irmãos. Foi em São Paulo, após trabalhar como sapateiro e vendedor de doces, que iniciou a carreira de cantor de fados e músicas românticas.

Foi em 1971 e com o tema "Arrebita", conhecido pelo seu refrão "Ai cachopa, se tu queres ser bonita, arrebita, arrebita, arrebita", que ganhou popularidade.

Quase todo o seu repertório, que vai buscar influência aos ritmos lusitanos e brasileiros, é composto de canções de sua autoria em parceria com a esposa Márcia Lúcia.

 

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade