Vice ficará gravado na história, americana, para o bem ou para o mal

Vice ficará gravado na história, americana, para o bem ou para o mal
Divulgação

A história recente dos EUA pode ser classificada como uma comédia de humor negro, e essa visão do cineasta mantém-se em Vice, filme de Adam McKay sobre Dick Cheney, figura poderosa durante a presidência de George W. Bush.

 

A habilidade de McKay em tratar de assuntos complexos tornando-os fáceis de compreender é o grande triunfo de Vice, capaz de alcançar aqueles (americanos ou não) que fizeram vista grossa no inicio do século. Há a liberdade criativa, mas fato é que muita coisa realmente aconteceu e continua vigente agora sob a Presidência de Trump.

O argumento acompanha a origem e ascensão de Dick Cheney (Christian Bale), uma figura notoriamente reservada e privada. Essa discrição, a voz sempre cadenciada e pausada, favorece-o a tornar-se um grande manipulador, operando nas sombras, afastado dos olhos do público e, portanto, do escrutínio público. Antes uma figura alegórica, do vice-presidente, passou para outro patamar após sua posse, fazendo do presidente George W. Bush quase como uma marioneta. Através das acções de Cheney, ele reformulou o mundo e o partido republicano.

Adam McKay faz  de Vice uma história divertida, mas ao mesmo tempo condenatória do poder americano. Actuando longe dos holofotes, o governo de Bush trouxe consequências irreparáveis. McKay não esconde o seu descontentamento e posicionamento político. A figura de Dick Cheney em algumas cenas torna-se folclórica, mas talvez seja essa a vontade de McKay. Ficar gravado na história americana para o bem ou para o mal.

Já considerado um parceiro de Adam McKay, Christian Bale desempenha o seu trabalho mais sublime. Mais do que engordar 20 quilos, algo que já é normal para o actor camaleão, Bale entrou de cabeça na mente de Cheney. Comparando as entrevistas do vice presidente e a interpretação do actor, é como se estivesse a ver a mesma pessoa. Foi sagaz em perceber que Cheney não era nenhum intelectual, está longe disso. O vice soube habilmente mover as peças do jogo político para os seus próprios fins. Em seguida, exerceu o poder que ele próprio adquiriu.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade