MSC Fantasia suspende a sua operação e repatria passageiros em Lisboa

MSC Fantasia suspende a sua operação e repatria passageiros em Lisboa
Divulgação

O MSC Fantasia atracou esta manhã no Porto de Lisboa, vindo do Brasil, com 2500 a bordo: 1338 passageiros, dos quais 27 são portugueses, e 1112 elementos da tripulação.

Segundo comunicado do Operador MSC Portugal, cooperaram com todas as autoridades de modo a "coordenar a chegada do navio ao porto, o seu destino final, bem como o desembarque dos passageiros". Salientando que "todos os passageiros vão voltar para seus países de origem directamente do navio".

Segundo a Administração do Porto de Lisboa (APL) "os cidadãos portugueses e os titulares de autorização de residência em Portugal realizarão testes de despistagem" e em "caso  negativo poderão sair, tendo de cumprir o período de quarentena".

Por sua vez o MSC Portugal explicou, em comunicado, que "as autoridades portuguesas encontram-se actualmente a realizar as verificações habituais, antes de os passageiros serem autorizados a desembarcar". O operador alerta que devido às "precauções extraordinárias que todos os países estão a aplicar nas suas fronteiras para combater a propagação da COVID-19, este processo pode demorar mais que o normal".

A APL referiu ainda, em comunicado, de que os restantes passageiros e tripulantes permanecerão a bordo “para a realização de todos os procedimentos previstos para o desembarque, designadamente a autorização por parte da autoridade de saúde“.

O objectivo será repatriar os 1338 passageiros que se encontram a bordo do MSC Fantasia, que zarpou do Rio de Janeiro no passado dia 09 de Março.

O Operador de cruzeiros salientou que "após deixar o Brasil, o navio não teve mais embarques ou desembarques de passageiros até à sua chegada hoje a Lisboa".

A APL acrescentou que os passageiros são “provenientes de 38 países (maioritariamente da União Europeia, Reino Unido, Brasil e Austrália)“.

No comunicado explicou ainda que “a partir de terça-feira, e depois de verificados todos os procedimentos de autorização por parte da autoridade de saúde, desembarcarão os restantes passageiros do navio, que, em trânsito, serão escoltados ao aeroporto Humberto Delgado para voos humanitários de regresso aos seus países de origem“.

Segundo o comunicado do MSC, "nenhum passageiro ou tripulação a bordo sofre de doenças respiratórias ou apresenta sintomas de gripe", vincando que não existem "evidências que sugiram que alguém a bordo possa estar infectado com a COVID-19".

O comunicado do Operador explica que o Fantasia "passou por vários processos profundos de saneamento durante a viagem", tendo sido realizadas "medidas de triagem adicionais na altura do embarque e verificou todos os históricos de saúde e viagens de todos os passageiros e tripulantes antes de permitir o embarque".

 

Como medida extraordinária de segurança "este é o último porto do itinerário" do navio, após o compromisso da MSC Cruzeiros de "suspender temporariamente toda a sua operação até 30 de Abril, o MSC Fantasia deixará de operar".

A MSC Cruzeiros gostaria de pedir desculpas "aos nossos passageiros pela inconveniência que esta situação lhe possa ter causado, e agradecer-lhes toda a continua confiança e compreensão".

Junto ao navio, em conversa com os Jornalistas, a Directora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras disse "não temos conhecimento de nenhum caso infectado no interior do navio".
Quanto ao desembarque Cristina Gatões salientou que "todos os passageiros serão rastreados e ficarão em quarentena, após abandonarem a embarcação", um processo que ficará a cargo da Direcção Geral da Saúde.

Dia Mundial do Turismo

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade