Festival Cantabile com concerto com a Orquestra Sinfónica Portuguesa

A 28 de Outubro terá lugar o concerto de encerramento do IX Festival Cantabile que reunirá a Orquestra Sinfónica Portuguesa, o violoncelista Pavel Gomziakov, a violetista Diemut Poppen e a violinista Maria-Elisabeth Lott.

 

O programa deste concerto que acontece na próxima sexta-feira é integralmente dedicado ao género concerto e convida o público a embarcar numa viagem pela música dos séculos XIX e XX: “dois diferentes estágios do romantismo musical alemão do século XIX, aqui representados pelos concertos de Schumann e Beethoven, são pontuados, através do concerto de Bartók, por uma incursão ao neoclassicismo da primeira metade do século XX.”


O programa abre com o Concerto para Violoncelo em Lá menor, op. 129, de Robert Schumann (1810-1846), uma peça marcada pelo lirismo expressivo do solista, uma missão que, nessa noite, cabe a Pavel Gomziakov. O violoncelista russo estreou-se nos Estados Unidos em 2010 e, desde então, tem-se apresentado em todo o mundo. Gravou com a pianista Maria João Pires um disco dedicado a Chopin (DG, 2009), que foi nomeado para um Grammy, e actuou com a pianista portuguesa em várias ocasiões.


Béla Bartók (1811-1886) nasceu na Hungria e emigrou para os Estados Unidos aquando do início da Segunda Guerra Mundial. Foi neste país que morreu, deixando incompleto o seu Concerto para Viola, que foi finalizado pelo violetista e compositor Tibor Serly (1901-1978). A obra destaca-se pela “conjugação dos modelos clássicos com um vocabulário musical popular, em partiuclar através da utilização de ritmos de dança no terceiro andamento do concerto”.

A alemã Diemut Poppen, directora artística do Festival Cantabile, é reconhecida como uma das maiores violetistas do nosso tempo e será a solista desta obra. O seu reportório inclui concertos clássicos para viola, obras de música de câmara e de música contemporânea, contando com estreias de obras escritas para ela por compositores contemporâneos, como o concerto para viola de Pinho Vargas (2016).

O Concerto para Violino em Ré Maior, op. 61, de Ludwig van Beethoven (1770-1827) é, ainda hoje, obra cimeira no reportório para violino. Dividido “nos tradicionais três andamentos, o primeiro deles anuncia a amplitude sinfónica que impregna toda a partitura”. Se o segundo andamento é marcado pela extraordinária qualidade da linha melódica do solista, o terceiro, animado pelo espírito da dança, é pura expressão radiante de alegria.

A interpretação deste belíssimo concerto cabe à Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Maria-Elisabeth Lott, internacionalmente reconhecida como uma das melhores violinistas alemãs da sua geração.

A direção musical do concerto de dia 28 cabe ao maestro José Eduardo Gomes que, recentemente foi laureado com o 2.º Prémio no Prémio Jovens Músicos – RTP Antena 2, na categoria de Direcção de Orquestra, tendo obtido igualmente o Prémio da Orquestra.

Ficha Artística

TEMPORADA SINFÓNICA

Teatro Nacional de São Carlos

28 de setembro de 2018, 21:00

Pavel Gomziakov violoncelo

Diemut Poppen viola – Diretora artística do Festival Cantabile 2018

Maria-Elisabeth Lott violino

José Eduardo Gomes direcção musical

Orquestra Sinfónica Portuguesa

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade