Les Roches identifica as quatro tendências que irão moldar o sector da hotelaria em 2024

por: António Manuel Teixeira
Les Roches identifica as quatro tendências que irão moldar o sector da hotelaria em 2024
Les Roches

Com o de 2023 concluído como o ano da recuperação do turismo, a indústria hoteleira de 2024 enfrenta um cenário em que os actores que começaram a marcar presença há alguns anos se consolidam como protagonistas.

A Les Roches, universidade de formação turística e hoteleira, aponta as principais tendências em que se enquadrará o sector este ano, e que se caracterizam por uma forte presença da tecnologia como motor de inovação. Para Carlos Díez de la Lastra, CEO da Les Roches: "2024 não assistirá apenas à evolução da hotelaria, será uma grande transformação da forma como o setor se conecta com os seus hóspedes e com o resto do mundo”.

Carlos Diez de la Lastra CEO da Les Roches foi apontado pela Sergestur (Servicios de Gestión Turística), a consultora espanhola especializada em turismo, como uma das personalidades mais influentes do sector do turismo em Espanha, entre uma lista de 150 nomes, segundo os resultados apresentados durante a última edição da FITUR que decorreu a semana passada em Madrid. 

A tecnologia como eixo principal

Na nova era pós-Covid, as expetativas e prioridades dos clientes mudaram e estes optam agora por experiências totalmente personalizadas, sustentáveis e mais locais. E, por sua vez, estas novas exigências no sector da hotelaria são impulsionadas pela tecnologia, que é definida como a espinha dorsal. Desde a automatização de serviços através de chatbots e Inteligência Artificial até aos hotéis que utilizam ferramentas de Sistemas de Gestão Empresarial (BMS) para gerir eficientemente os seus recursos, passando por robots que irão simplificar tarefas manuais como a limpeza ou o transporte de bagagens. Carlos Díez de la Lastra afirma: "Os avanços não só nos estão a conduzir a uma sociedade mais digital, como também são a forma de conseguir experiências mais personalizadas para o cliente e mais eficientes para a empresa e os seus funcionários. A tecnologia é, em suma, a única forma de sobreviver e de se destacar no domínio do turismo. E na Les Roches, contribuímos para enriquecê-lo através dos nossos alunos, que se tornam líderes nas principais cadeias hoteleiras e empresas turísticas graças ao seu trabalho exemplar em resposta às exigências atuais e futuras". A Les Roches, referência na formação em hotelaria desde 1954, baseia o seu modelo educativo numa formação integral que combina teoria e prática em ambientes reais, lançando no setor profissionais capazes de oferecem o melhor serviço ao cliente graças às suas competências linguísticas, competências transversais, competências comerciais e um conhecimento profundo do setor e das tecnologias mais recentes.

 

Dar prioridade à sustentabilidade

No último relatório da Booking.com, os viajantes já reflectiam a sua preocupação em tornar o mundo um lugar mais verde: 79% disseram que querem viajar de forma mais sustentável nos próximos 12 meses e 75% estão a procurar empresas que ofereçam opções mais sustentáveis. Os turistas de hoje estão muito mais conscientes do impacto ambiental que as actividades relacionadas com o turismo têm vindo a gerar nos últimos anos. Os hotéis estão a adoptar energias renováveis, software centralizado e BMS para optimizar a eficiência operacional e reduzir a sua pegada ambiental. A implementação destes sistemas inteligentes contribui para a eficiência energética através do ar condicionado, da iluminação inteligente ou dos pontos de carregamento para veículos eléctricos.

Mas a sustentabilidade não é apenas uma questão de optimizar a utilização dos recursos ambientais, mas também de ter em conta os aspectos económicos e socioculturais do ambiente. Aqui, por exemplo, entra em jogo o respeito pela comunidade anfitriã ou a criação de actividades que contribuam para o benefício de todos os intervenientes no turismo e para a redução da pobreza através da promoção do emprego local ou da compra de produtos locais. Desta forma, os hotéis alinham-se com os princípios de desenvolvimento sustentável da Organização Mundial do Turismo.

 

Hiperpersonalização para a diferenciação

Nos últimos anos, o scetor assumiu o compromisso de personalizar ainda mais o serviço para um cliente mais premium. E esta hiperpersonalização, já exigida por 71% dos clientes, é conseguida através da utilização de ferramentas digitais como a inteligência artificial, o machine learning e a análise de big data. A adopção destes conceitos permite aos hotéis antecipar e satisfazer proactivamente as necessidades dos hóspedes, oferecendo experiências altamente adaptadas aos seus gostos e hábitos. Os principais factores incluem a adaptação de estratégias de preços dinâmicas, programas de fidelização personalizados, recomendações de refeições com base em padrões de consumo e serviços adaptados ao seu histórico. A implementação de serviços multicanal, como a utilização de dispositivos móveis e a facturação eletrónica, juntamente com a monitorização das redes sociais, alarga as opções para o desenvolvimento de uma comunicação sem descontinuidades. Esta revolução digital e centrada no cliente redefine as acções, proporcionando eficiência nas estratégias comerciais e preparando a hotelaria para oferecer experiências únicas a nível global.

RIU Hotels & Resorts

Amsterdam City Card

Etihad Airways

Actualidade