O primeiro mês de 2021 registou uma quebra de turistas estrangeiros de 87%,

O primeiro mês de 2021 registou uma quebra de turistas estrangeiros de 87%,
Divulgação

O alojamento turístico português teve em Janeiro uma quebra média de 87% das dormidas de turistas residentes no estrangeiro



A “estimativa rápida” do INE sobre a evolução da procura no alojamento turístico português no primeiro mês deste ano verifica que a “contracção” aumentou.

Verifica-se que se registaram quedas face a Janeiro de 2020, “ainda pré agravamento da pandemia de covid-19, de 78,3% em número de hóspedes, para 308,4 mil, e 78,2% em número de dormidas, para 709,9 mil”.



Segundo o INE foi revelado que a queda de dormidas foi com “decréscimos de 60,3% nas pernoitas de residentes em Portugal, para 427 mil, que correspondem a 60,1% do total, e de 87% nas dormidas de residentes no estrangeiro, para 282,9 mil”.


Aquela entidade chamou ainda a atenção para as quebras acima de “90% nas dormidas de residentes no Reino Unido (-91,6%), Países Baixos (-91,1%), Brasil (-92,7%), Estados Unidos (-94,2%), Canadá (-94,3%), Dinamarca (-95,2%), Rússia (-94,8% e China (-98,1%).”


Somam-se aos 90% outros cinco com quebras superiores a 80% — Espanha (-87,4%), Itália (-84,2%), Bélgica (-80,8%), Suécia (-88,9% e Irlanda (-82,1%) – e outros três com quebras superiores a 70% — Alemanha (-75,3%), França (-78%) e Suíça (-77,1%) — o que significa que apenas um teve uma quebra inferior a 70%, a Polónia, cujos residentes baixaram as dormidas em Portugal em 69,5%.


Por outro lado o INE faz notar que em Janeiro,  54,0% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes.
Em simultâneo especifica que as dormidas em hotéis caíram 82%, para 375,7 mil para 375,7 mil (52,9% do total do mês), com quedas acima de 80% nos topo de gama de 5 e 4-estrelas”.

E acrescenta a queda, foi de 88,3% nos 5-estrelas, para 45,8 mil, 83,4% nos 4-estrelas, para 166,8 mil, 77,5% nos 3-estrelas, para 107,1 mil e 74,3% nos 2 e 1-estrela, para 56 mil.

No que se refere ao alojamento local, o segundo mais procurado com 178,4 mil dormidas (25,1% do total do mês), o INE constatou que pernoitas em Janeiro foi de 63,4%.


As descidas mais evidentes verificaram-se nas Pousadas e Quintas da Madeira “em 87,9%, e hotéis-apartamentos, em 87,1%”, lembrando que nos aldeamentos turísticos foi de 66,6%, e enquanto que no espaço rural e de habitação registou-se o decréscimo menos acentuado, em 54,2%.

RIU Hotels & Resorts

FITUR 2021

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade