Web Summit provocou enchentes nos hoteis de Lisboa e arredores

Web Summit provocou enchentes nos hoteis de Lisboa e arredores
Divulgação

A realização da Web Summit provocou um crescimento na ocupação das unidades hoteleiras lisboetas, fazendo com que de pouca procura desse lugar a hotéis cheios. 

 

A maior cimeira de tecnologia, Web Summit, realizou-se na capital portuguesa de 05 a 09 de Novembro, causou um grande impacto positivo na ocupação hoteleira da cidade, uma vez que os hotéis ficaram mais cheios e os preços mais elevados do que é normal nesta altura do ano.

Segundo noticia do Dinheiro Vivo, as duas unidades da cadeia madeirense PortoBay que dispõe de dois hotéis próximo da Avenida da Liberdade, quase esgotaram. Ficaram por vender "apenas dois quartos". Provocou então uma taxa de ocupação muito próxima dos 100%, enquanto o preço médio por quarto chegou aos 216 euros no PortoBay Liberdade e aos 168 euros no PortoBay Marquês. Segundo a directora de Marketing referiu ao Dinheiro Vivo, tratou-se de “um evento excelente para a reputação do destino e para o posicionamento do país. Assegura a vinda de novos e potenciais turistas que de outra forma não viriam”.

O mesmo se passou nos hotéis Vila Galé com a ocupação em Lisboa a superar os 90%, como fez disparar os preços por noite para 150 euros. As estadias registaram-se de portugueses e estrangeiros vindos de França, Reino Unido e Brasil. O Vila Galé Estoril foi o que mais procura teve. No entanto a cimeira terá um “impacto residual” para o grupo, realçando que, mais do que resultados imediatos, “leva o nome de Lisboa e Portugal a todo o mundo”, concluiu a mesma fonte ao Dinheiro Vivo.

Para o Corpo Santo Hotel, um cinco estrelas na zona do Cais do Sodré, esteve praticamente esgotada, em grande parte devido a hóspedes estrangeiros, de acordo com o director do hotel, Pedro Pinto, que referiu ter registado "uma facturação perto dos 50 mil euros". O Dinheiro Vivo noticiou também que que "dos 79 quartos, 32 foram reservados por participantes da Web Summit, um valor representa 40% do total da ocupação que, nesta semana, rondou os 92%". Sobre os preços médios, subiram, uma vez que a procura foi muito elevada. Pedro Pinto disse que "houve um crescimento de 12% face a 2017, para 223 euros". “A Web Summit ajuda a cidade no seu todo, num mês que tradicionalmente sempre foi um dos piores do ano', observa o responsável, salientando que 'faz que a saída de Outubro, em que as ocupações são sempre altas, não seja tão abrupta'”.

Também os hostels registaram uma grande subida, com uma ocupação nos "82% no The Indy House, 75% no The Independente Hostel e 98% no The Independente Suites, pela forte procura de portugueses, norte-americanos, brasileiros, holandeses e franceses. O valor mínimo cobrado pelas unidades do grupo foi de 92 euros, no caso do The Indy House, seguido do The Independente Hostel, com quartos a 21,90 euros por noite. O The Independente Suites manteve-se o mais caro, com um preço médio por cada dormida de 140 euros. Quanto ao impacto económico da cimeira, as estimativas para os cinco dias apontam para uma facturação a rondar os 70 mil euros", segundo o Dinheiro Vivo.

O jornal económico online conclui que o impacto económico da cimeira e as estimativas para os cinco dias "apontam para uma faturação a rondar os 70 mil euros".

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade