Queijo,Pão e Vinho, um Festival que celebra 25 anos

O Festival Queijo, Pão e Vinho regressa a S. Gonçalo, Quinta do Anjo, de 05 a 07 de Abril, celebrando em festa os 25 anos do evento.


Foi a 21 de Março que teve lugar a apresentação do Festival que nesta edição celebra as bodas de prata.

A apresentação aconteceu nas instalações da ARCOLSA – Associação Regional de Criadores de Ovinos Leiteiros da Serra da Arrábida, que organiza o Festival, em conjunto com o Município de Palmela.


Durante os três dias do Festival esperam-se 14 a 16 mil visitantes que poderão contactar os 55 expositores presentes e encontrar os melhores vinhos, queijos, sem deixarmos de destacar o Queijo de Azeitão, pão, fruta, mel e doçaria produzidos na região.

As tasquinhas de gastronomia e a exposição de animais despertarão a atenção dos visitantes certamente.

Em simultâneo “decorre um programa composto por 36 actividades,” que vão da gastronomia à música, dança e desporto, que resulta de um forte empenho e dinamização do movimento associativo da freguesia e do concelho.

Do programa central, Francisco Macheta, da ARCOLSA, destaca a famosa Corrida de Ovelhas, “um dos pontos altos do Festival e algo único no nosso país”, as tosquias de ovelhas e também o Concurso de Queijo de Azeitão/DOP que, este ano, vai também premiar a melhor Manteiga de Ovelha e Queijo Seco.


O programa equestre, já habitual, e dinamizado pela Escola de Equitação “Quinta dos Barreiros”, e um programa “Especial Gastronomia”, do qual se destacam os workshops dinamizados por alunas/os da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, numa demonstração de “que é possível inovar, utilizando os produtos endógenos.”

  As entradas mantêm o valor simbólico de um euro.
Esta edição volta a ser um Eco Evento Amarsul, certificação atribuída pela empresa multimunicipal a iniciativas que apostam na separação de resíduos valorizáveis.

O Município atribui um apoio financeiro ao Festival no valor de quatro mil euros, a par de apoios técnicos e logísticos estimados em 15 mil euros.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Álvaro Balseiro Amaro, esta edição marca “um quarto de século de consolidação e valorização desta iniciativa”.
Criámos uma marca, um evento de referência, que temos todas/os a responsabilidade de ir estimando, ampliando e qualificando”, realçou.

O Festival conta também com o apoio da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo. O Presidente, António Mestre, destacou o contributo da Junta para a criação de novas infraestruturas, para melhorar o espaço do Festival.

    

Francisco Macheta apresentou, na ocasião, o projecto “Adote uma Saloia” que a ARCOLSA vai lançar.

Junto ao Museu do Ovelheiro, “está a ser construído um ovil, que vai acolher uma dezena de Ovelhas Saloias, uma raça autóctone que está praticamente extinta e que a Associação quer ajudar a preservar.”
O objectivo é criar uma reserva genética e fornecer animais desta raça aos produtores interessados.

Assim, a ARCOLSA vai desafiar "as empresas a adoptarem uma Ovelha Saloia, contribuindo com uma pequena jóia e um valor mensal destinado a comparticipar a sua alimentação e os cuidados necessários. Em contrapartida, vão receber, periodicamente, informação sobre o animal adotado e podem, sempre que quiserem, visitá-lo e ajudar no seu tratamento.


 Este projecto será também uma mais-valia para as centenas de crianças que, todos os anos, visitam e realizam actividades no Museu e que vão também poder contactar com estes animais.    

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade