Associação Rodoviária de Transportadores Pesados de Passageiros reune para discutir os desfios do sector

por: António Manuel Teixeira

A Associação Rodoviária de Transportadores Pesados de Passageiros (ARP) vai ter a sua reunião magna, em Troia que contará com a presença de Luis Marques Mendes e a Secretária do Turismo.

Segundo a ARP "os problemas de tesouraria gerados pela pandemia do covid-19 e a retoma do turismo, as respostas do Governo à escalada de preços dos combustíveis e o desafio da mobilidade eléctrica" serão temas em destaque na XV Convenção Nacional que se realiza em Tróia, nos dias 04 e 05 de Novembro, com a presença da secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, que presidirá à abertura dos trabalhos.

A, organização representa 150 empresas de transportes de passageiros de todo o país, do sector turístico e de serviços regulares de transportes públicos, preparou um programa em que se destacam as presenças, como oradores, de  Luís Marques Mendes, que irá falar sobre o estado actual da economia, e do ex-secretário de Estado do Ambiente e da Mobilidade José Gomes Mendes.

COMBUSTÍVEIS E FALTA DE MOTORISTAS

“A Convenção Nacional da ARP será uma oportunidade para falarmos de todos os problemas que tivemos ao longo da pandemia, mas também dos novos desafios que temos pela frente”, explica em comunicado Rui Pinto Lopes, presidente da direcção da ARP, lembrando que a actividade dos associados tem sido “fortemente condicionada” por questões como a guerra na Ucrânia, a escalada dos preços do gás e do gasóleo, a falta de motoristas, entre outras.

“A direcção da ARP tem feito um esforço brutal para tentar repor as condições de operacionalidade das empresas associadas. E temos conseguido apoios que nunca tivemos neste setor”, destaca o responsável, lembrando que os desafios são constantes. 

“Estamos a tentar, junto do Governo, ter acesso ao gasóleo profissional, o que espero que aconteça a partir de 2023”, adianta o presidente da ARP, que considera como “fundamental” que haja “uma forte participação das empresas de transportes na convenção para que a ARP tenha mais força junto dos organismos decisores”.

“Temos um excelente programa de trabalho. Ter informação sobre o que aí vem é essencial para planificar as nossas empresas. Daí os convites a diversas personalidades, cujo conhecimento será precioso, numa altura em que temos pela frente uma crise económica que poderá ser ainda mais complicada do que aquela que vivemos há dez anos”, salientou o gestor.

 

MUDANÇA DE TACÓGRAFOS E APOIOS

Para a APR, num plano mais técnico, "a gestão das empresas de transportes, os tacógrafos serão outro dos temas importantes da convenção porque, de acordo com as novas regras europeias, até 2024 todos os autocarros terão de mudar de tacógrafo, sob pena de serem impedidos de circular", refere o comunicado. “Na convenção, os empresários vão perceber todas estas dinâmicas atinentes ao seu negócio de transporte de passageiros”, indica Rui Pinto Lopes.

Marco Neves, especialista em gestão de tempos de condução e repouso, irá apresentar na sua intervenção "informação sobre os tacógrafos, duas publicações: um livro sobre o que é preciso saber acerca de tacógrafos e a Agenda do Motorista para 2023, este ano com uma edição exclusiva para motoristas pesados de passageiros", refere na nota de imprensa.

Na convenção irá ocorrer uma mesa-redonda em que dois especialistas do Millennium BCP e da consultora EY-Parthenon, Hugo Cardoso e Hermano Rodrigues, respectivamente, falarão sobre "os apoios disponíveis para o investimento no sector dos transportadores pesados de passageiros no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e do Portugal 2030".

O último painel debate os contratos colectivos de trabalho. Alcides Martins e Bruno Negrão Alves, da sociedade de advogados AMBS, explicarão quais são "as implicações do contracto colectivo de trabalho para as empresas".

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade