FESTin está de volta com vários filmes a estrear em Portugal e na Europa

FESTin está de volta com vários filmes a estrear em Portugal e na Europa
e-cultura

A seleção da 12ª edição do FESTin - Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa comprova que a produção está cada vez mais aberta para novos temas e formatos.

O FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa celebra a sua 12ª edição de 17 a 24/11 na cidade de Lisboa e online, apresentando as suas tradicionais mostras competitivas de longa-metragem de ficção, documentários e curtas-metragens dos países de Língua Portuguesa, além da Mostra de Cinema Brasileiro.

Pelo segundo ano consecutivo, o Festival decorre em formato presencial e online, com a exibição de 18 longas e 24 curtas metragens. O Cinema São Jorge (no dia 17/11) e o Cinema City Alvalade (no dia 18 a 21/11) abrigam as sessões presenciais, e a plataforma online exibe gratuitamente longas e curtas metragens da selecção oficial do evento.

O Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa é um evento internacional que pretende fomentar a difusão, a interculturalidade, a inclusão social e o intercâmbio cultural, através da realização de um evento que divulga diferentes culturas e práticas.

A criatividade, a resistência e a persistência são factores predominantes nas obras cinematográficas dos países de língua e expressão portuguesa, que mostram uma qualidade ímpar.

O festival apresenta este ano 51 filmes de diversos países da CPLP, onde se destacam seis longas-metragens de ficção com exibição presencial que concorrem ao Troféu Pessoa. Western spaghetti brasileiro; violência doméstica; compra de votos; racismo estrutural; o legado de Marielle Franco e a riqueza da música em português, são alguns dos temas em que se fundamentam as narrativas dos filmes desta edição.

O filme de abertura é Jesus Kid, de Aly Muritiba, comédia que dialoga o western spaghetti e a chanchada brasileira.

Também competem A Mulher Sem Corpo, do realizador português António Borges Correia, longa docuficção que tem como tema a violência doméstica, eleita Melhor Filme do Cinema Português, no Fantasporto 2021. Do realizador emigrado Diego Costa, vem A Queda, drama sobre a investigação policial de um fotógrafo forense, que se depara com os dilemas do avô. O Curral, do realizador brasileiro Marcelo Brennand, traz o tema da fragilidade do sistema eleitoral nas pequenas cidades, onde predomina a troca de votos por serviços básicos como o fornecimento de água. Com Thomás Aquino no elenco, a longa recebeu prémios de Melhor Filme e Melhor Actor em festivais norte-americanos. A Medida Provisória, primeira longa do aclamado artista brasileiro Lázaro Ramos, traz um Brasil distópico, com uma "medida de reparação social" que retrata o racismo estrutural desta sociedade. Com a premiada atriz Dira Paes, chega a Lisboa Pureza, de Renato Barbieri, inspirada em factos reais sobre uma mãe à procura do filho desaparecido em uma região específica brasileira do Pará.

Todas as produções cinematográficas são inéditas em Lisboa e quase todas são exclusivas em Portugal.

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade