Rita Marques: "2021 será um ano atípico, mas estou convencida que a procura vai surgir rapidamente"

Rita Marques: "2021 será um ano atípico, mas estou convencida que a procura vai surgir rapidamente"
O Turismo PT

No encerramento do Congresso da Associação dos Directores de Hoteis de Portugal (ADHP), Rita Marques afirmou que "queremos sobretudo melhor turismo e melhor turista"

 

A Secretária de Estado do Turismo recordou que "o turismo parou", mas "não parou por fruto da nossa incompetência, foi de facto porque não havia turistas". Salientando que "temos feito um trabalho extraordinário, no sentido de preservar os empregos, preservar as empresas".

Sobre o valor que o Governo dispensou para o sector, Rita Marques referiu que "foram vários, os milhões ventilados, em boa verdade 1,4 mil milhões". E assumiu que "tudo aquilo feito pela parte publica não foi seguramente suficiente". Vincando que "o desafio de facto é enorme, e, portanto, com selo ou sem selo, este esforço" tem de ser em "sentido continuo e enérgico". O apoio governamental "apesar de não ter sido suficiente, chegaremos lá! Chegaremos lá!", frisou.

A secretária de Estado afirmou também que "os nossos activos, as nossas características diferenciadoras, tudo aquilo que nos fez ser reconhecido como o melhor destino turístico do mundo, estão cá, e as pessoas acima de tudo, estão cá com mais vontade de trabalhar do que nunca".

A responsável recordou que "tem de continuar a ser uma grande prioridade a valorização das profissões e o reconhecimento das carreiras em particular deste sector", depois do presidente da ADHP ter voltado a referir que "é importante criar a categoria de Director de Hotel".

Rita Marques comprometeu-se a "reconhecer as competências desses profissionais e sobre tudo a importância da melhoria continua, com um dos decretos que já foi sinalizado mas que ficou hibernado ou suspenso devido aos tempos pandémicos que tivemos". Frisando que "ainda assim fica aqui o compromisso que podemos vir a trabalhar no sentido de reconhecer as competências desses trabalhadores".

Desde o inicio da crise que a governante apela aos profissionais para "resistir". No entanto, mudou o discurso para: "estamos a resistir, estamos a retomar, mas sobretudo, temos de recuperar e reinventarmos, e este parece ser um hiato que todos temos de abraçar".

A secretária de Estado afirmou que a retoma do turismo "não vai ser igual, e nós temos de ter esta ambição. Não queremos mais turistas, queremos sobretudo melhor turismo e melhor turista". "Portanto, quando falamos da recuperação, falamos da necessidade de nos reinventarmos", salientou.

A responsável afirmou que "estamos sempre atrás do prejuízo, mas em boa verdade, o importante a registar, é que o futuro começa agora sim, mas depende de todos".

Rita Marques com esperança, explicou que deseja "de forma convicta que o ano 2021 será enfim um ano atípico, mas estou convencida que a procura vai surgir muito rapidamente". "Portanto, é um ano de esperança, de optimismo para acreditar que em  2022 voltaremos a estar aqui a assegurar novas vitórias", concluiu.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade