Não há Marchas Populares, em Lisboa, nem festejos do S.João, no Porto

Não há Marchas Populares, em Lisboa, nem festejos do S.João, no Porto
O Turismo PT

Uma das principais atracções turísticas da Cidade de Lisboa, as Marchas Populares, foram canceladas. O Porto também cancelou a sua principal atracção, o São João.

 

A autarquia de Lisboa decidiu cancelar o principal evento das Festas de Lisboa, as marchas populares. O cancelamento extende-se aos arraiais e casamentos de Santo António.

Em comunicado, autarquia e a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M. explicam que "os riscos associados tornam imprudente a realização destes eventos".

A Câmara Municipal e a EGEAC explicam que “na sequência dessas medidas de redução dos riscos de contágio, e atendendo ao desenrolar da actual pandemia e do período de confinamento e distanciamento social ter inviabilizado os ensaios, a Câmara Municipal e a EGEAC decidiram cancelar a edição de 2020 das Marchas Populares de Lisboa”.

No comunicado é ainda referido que devido à "elevada concentração de pessoas que marca os Arraiais Populares, vincando a força da sua tradição, é incompatível com a sua realização mesmo num cenário de achatamento da curva de contágio e da diminuição do número de infectados, razão pela qual a edição de 2020 dos Arraiais Populares está cancelada”.

Acrescentando que “a edição de 2020 dos Casamentos de Santo António, da qual não foi possível realizar entrevistas e seleccionar os nubentes, também está cancelada", sendo que todas as "candidaturas para 2020 serão automaticamente consideradas para a edição do ano que vem”.
Não foi anunciado se o Arraial Pride, assim como a Marcha, estarão igualmente cancelados. Isto porque se inserem no calendário das Festas de Lisboa, embora seja organizado pela ILGA-Portugal.

Igualmente a autarquia portuense decidiu cancelar as festas de São João, a principal atracção turística do Porto no mês de Junho.

Em comunicado, a Câmara Municipal explica que dado o “potencial risco para a saúde pública”, a decisão mais correcta é cancelar os eventos agendados.

O comunicado refere ainda que se trata de “uma medida que deixa os portuenses e todos os amantes desta grande festa certamente tristes mas que, nesta altura, se afigura a mais prudente, especialmente dada a incerteza de propagação do vírus e das suas consequências”.

A autarquia conclui explicando que a verba prevista para o evento, que ronda vários milhares de euros, será agora para as “diversas acções de combate ao actual cenário de pandemia”.

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade