“Peixe em Lisboa” um evento de promoção gastronómica no Pavilhão Carlos Lopes

“Peixe em Lisboa”  um evento de promoção gastronómica no Pavilhão Carlos Lopes
OTurismo.pt.

O Peixe em Lisboa que estará no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa até dia  14, está longe de satisfazer as perspectivas de alguns dos presentes.


Numa passagem rápida por alguns dos espaços de restauração abertos e com disponibilidade imediata de serviço, o atendimento e a simpatia são uma forma de atracção  do  espaço.

Num espaço diminuto, onde nem o cheiro a corvina, nos consegue lembrar que estamos no espaço do “Peixe em Lisboa”.
No Pátio da Galé era outra coisa” diz-nos Samira que está no restaurante Porto de Santa Maria.

Paulo Morais que, no seu espaço, corta peixe em lâminas, corrobora o que já tínhamos ouvido: “no Páteo da Galé era diferente e melhor. Aqui não há os produtores que fazem muita falta, porque dão outra vida e outra cor ao espaço. Isto é muito pequeno e estamos um uns em cima dos outros.”

Pareceu-nos que Paulo Morais está certo, porque o espaço é realmente muito reduzido, retirando ao evento. Mas este chef, mestre do sushi, acrescentou: “ aqui agora o pior é o cheiro a fritos. Sei que alguns petiscos são fritos. Também gosto de um pastel de bacalhau, de uma patanisca, mas neste espaço pequeno o cheiro torna-se desagradável. Mas este evento vale a pena. É uma oportunidade para os mais novos. E depois o convívio entre todos é excelente. Muitas vezes lá fora não conversamos porque cada um está no seu sítio. Aqui conseguimos falar trocar experiências, falar dos respectivos trabalhos, como correm as coisas, é bom, vale a pena, é positivo.” conclui o Mestre do Sushi.

Esta edição o Peixe em Lisboa tem uma novidade na restauração, a Taberna de Macau, que apresenta pela primeira vez, os petiscos daquele território asiático.
OTurismo.pt falou com André que nos disse: “abrimos há  seis meses no Martim Moniz, e estamos pela primeira vez no Peixe em Lisboa. O chef André Magalhães é o responsável pelos petiscos que apresentamos. Desde caril menos picante a outro bastante mais picante. Está a correr bem, sobretudo aos jantares”, terminou o jovem André.

Mas o Peixe em Lisboa embora em espaço reduzido, é também palco de lançamento de livros. Foi o caso de “Petiscos do Rio e do Mar” de Isabel Zibara Rafael e de Virgílio Nogueira Gomes apresentado num espaço minúsculo, mas conseguido, no topo do pavilhão.

Mas “Peixe em Lisboa” tem de ter uma peixaria, a Peixaria Veloso, onde durante víamos uma peixeira simpática, a Açucena e agora está a filha Susana. Mas o peixe lá continua, fresco e com ar saudável, “foi comprado hoje de manhã”, diz a Aline que toma conta da banca. Acreditamos porque as santolas ainda mexem, embora quase geladas. E é mais uma pessoa que nos diz que no Páteo da Galé era bem melhor.
Realmente o público não era muito mas a hora de jantar tardava ainda.

No átrio do Pavilhão estavam os azeites para provar e comprar, uma banca da Renova, e alguns vinhos e águas.
Pareciam um pouco perdidos, porque demasiado longe do conjunto.
Lembrámos o Páteo da Galé.
Hoje, dia 10 decorre pelas 15:00 “Prova do Melhor Pastel de Nata”, que normalmente é muito concorrida.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade