Enoturismo uma prioridade do Turismo de Portugal

Enoturismo uma prioridade do Turismo de Portugal
O Turismo.pt

Neste primeiro dia de BTL foi apresentada por Luis Araújo, presidente do Turismo de Portugal o “Programa de Acção para o Enoturismo, 2019/2021

.Tendo o Enoturismo, como principal elemento a desenvover no âmbito do Turismo em 2019 Luis Araujo enumerou a váruas etapas a percorrer paar se alcançar o êxito que queremos no enoturismo em particular e no Turismo no seu todo.

Para Luis Araújo é necessário um enquadramento da acção para que os diversos agentes não dispersem esforços.

É igualmente necessárioum referencial estratégico, sobretudo potenciando o cross selling, não esquecendo a aproximação ao turista.

Todas estas acções têm de ter sempre em vista a urgência da sua colocação em prática.
O Enoturismo ainda  não é destino preferencial para Portugal e é nisso que temos de o transformar.
Por isso segundo Luis Gouveia temos de utilizar todos os nossos esforços para alcançar esse objectivo.

Dentro deste prisma há que sensibilizar as emprersas, as regiões para a promoção de um vinho excelente produzido com qualidade e de forma harmoniosa.

Há também que promover a concretização de um calendário de eventos de publicitação dos mesmos, depois de uma regrada calendarizção.está a ser criada uma plataforma que permita o acesso a toda a informação.
Está em vigor a Enotur, um projecto de formação em enoturismo que segundo o Presidente do Turismo de Portugal, que se pretende chegue a todas as escolas.

E Luis Araújo termina a sua apresentação lembrando “que a OMT estará em Reguengos em 2020 e que permitirá uma maior visibilidade ao projecto.”


De seguida sob a moderação de Paulo Salvador, realizou-se um pequeno debate com quatro responsaveis por adegas do país.

Rita Nabeiro, da Adega Campo Mayor falou da sua experiência, num local que juntou o vinho ao café. Uma experiência que começou hesitante mas que se revelou um sucesso considerável.


Também Álvaro Lopes falou da evolução da Quinta da Pacheca, no Vale Abraão e que do vinho passou à hotelaria e com sucesso.Esta quinta foi ainda cenário do filme de Manuel de Oliveira, “Vale Abraão”.

Maria Soares, que é coordenadora da Cooperativa do Moscatel de Favaios, falou da sua experiência e sobretudo do seu amor ao trabalho a que se dedica.


Por último nesta ronda de testemunhos, falou Jorge Monteiro, da Vini Portugal.
Foi breve mas deu testemunho de um trabalho que tem dado frutos e que aumente de proventos de ano para ano.


Este debate, melhor esta divulgação de experiências do sector vinícola terminou com uma intervenção da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Com o entusiasmo que lhe conhecemos e porque o debate foi proveitoso e conclusivo de intenções, Ana Mendes Godinho lembrou que com o trabalho de todos e a vontade de avançar, conseguiremos alcançar o objectivo.
Nesta ida à África do Sul descobri que é o vinho que nos une”, afirmou a Secretária de estado lembrando a sua recente visita àquele país. Segundo aquela dirigente, “o enoturismo poderá ser a alavanca que nos falta para sermos também o pís destino para um enoturismo de qualidade e sustentável”

E Ana Mendes Godinho referiu que por vezes perguntam “mas vocês não se cansam”, e a resposta foi simples e directa” quando se trabalha com paixão, não há cansaço que nos vença!”

 

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade