Da discussão do Turismo em Palmela resultaram decisões muito positivas

O Fórum Turismo Palmela, que decorreu ao longo do dia de ontem, no Cineteatro S. João, contou com mais de três centenas de participantes, com uma forte presença de jovens, alunas/os de escolas da região.



A iniciativa, organizada pela Câmara Municipal de Palmela, com o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal, promoveu a partilha de exemplos e práticas de sucesso em torno do tema “Turismo e Património Cultural – Valorização dos Territórios”.

            A manhã foi dedicada ao painel “Turismo como factor de valorização cultural dos territórios”, com a apresentação de projectos de várias regiões do país, entre os quais “Idanha a Nova – Cidade Criativa da Música”, numa altura em que Palmela prepara também a sua candidatura a Cidade Criativa da Música da Unesco. “O Caminho de Santiago – Perspectivas de Desenvolvimento Turístico-Cultural” deu o mote aos trabalhos do período da tarde. O tema revestiu-se de especial importância para Palmela, que foi sede da Ordem de Santiago em Portugal, até à sua extinção.

            O Presidente do Município, Álvaro Balseiro Amaro, sublinhou, durante a sessão de abertura do Fórum, que “Palmela tem vindo a afirmar-se como um destino turístico em franco crescimento”, com destaque para as áreas do enoturismo, gastronomia, touring cultural e paisagístico, desporto de natureza e golfe.
Em 2017, o concelho ultrapassou a barreira das 100 mil dormidas e também o número de alojamentos locais tem vindo a aumentar, sendo já uma centena e meia.


Álvaro Balseiro Amaro salientou também que o Município tem procurado captar todo o financiamento europeu disponível no âmbito do atual quadro comunitário para o desenvolvimento de projetos no setor turístico. Entre os investimentos já concretizados e em desenvolvimento estão a valorização de sítios arqueológicos, os projetos “PRARRÁBIDA – Espaços de lazer e bem-estar” Serra do Louro ao Cubo, Janela da Arrábida e Castelos e Fortalezas da Arrábida, o reforço da rede wi fi no Centro Histórico de Palmela e Serra do Louro, a criação do espaço Palmela Conquista no antigo edifício Pal e a ação Almenara, que totalizam mais de 1,7 milhões de euros de investimento.


O nosso objectivo para o futuro é muito claro: queremos posicionar Palmela como um destino em que o casamento entre o turismo e o património cultural é uma aliança feliz”, afirmou o Vereador do Turismo, Luís Miguel Calha, a quem coube encerrar o Fórum. Para o Vereador, “o intercâmbio de experiências, a aprendizagem aqui germinada e os resultados desta iniciativa serão determinantes para continuarmos a construir caminhos de futuro”.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade