Até 2020, Museu Calouste Gulbenkian mostra as suas obras pelo país.

As coleções do Museu Gulbenkian reforçam a presença fora de portas, mostrando-se, a partir de 01 de Dezembro, em Bragança e Sabrosa e a partir do dia 08 de Dezembro, em Portimão.


Também, o Coro e a Orquestra Gulbenkian já agendaram várias digressões nacionais e internacionais para este e para o próximo ano.

 A Fundação Calouste Gulbenkian vai começar a divulgar sistematicamente as suas obras de arte pelo país, ampliando o acesso do público às coleções do Museu Calouste Gulbenkian.

Até 2020, serão seis as localidades que vão acolher obras do Museu: Bragança, Sabrosa, Castelo Branco, Portimão, Sines e Tavira. Esta aposta da Gulbenkian ganha um nome e uma marca - “Gulbenkian Itinerante”, um projecto que recupera a itinerância, “que faz parte da história da Gulbenkian, de que foram exemplo as famosas Bibliotecas Itinerantes”.

Queremos que os portugueses tenham uma maior proximidade com o espólio da Fundação e, por isso, decidimos criar um programa que recupera uma marca forte da Gulbenkian: a itinerância”, afirma Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian.

Isabel Mota diz ainda que esta iniciativa pretende “promover um maior acesso de todas as populações aos bens culturais, através de uma maior circulação, quer dos nossos Agrupamentos Artísticos, quer das nossas Coleções”.

Bragança e Sabrosa vão expôr, a partir do dia 01 de Dezembro, uma seleção de trabalhos reunidos sob o título Corpo e Paisagem.

As mostras, patentes respectivamente no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais e no Espaço Miguel Torga, juntam obras da Coleção Moderna e peças adquiridas por Calouste Gulbenkian de proveniências tão distintas como a Síria, a Turquia ou o Japão.

José de Almada Negreiros, Paula Rego, Alberto Carneiro, Ana Vidigal, António Areal, Antony Gormley, Costa Pinheiro, Helena Almeida, João Queiroz, Lourdes Castro, Manuel Botelho, Mário Eloy, Menez, Miguel Palma, Rui Chafes, Stanislas Lépine e Thomas Weinberger são alguns dos artistas da Coleção Moderna cujas obras estarão patentes nos dois espaços.

Jorge da Costa, director do Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, “enfatiza” a longa relação estabelecida com a Fundação, que diz “evocar o emblemático programa das bibliotecas itinerantes”, permitindo que outros públicos, de norte a sul do país, tenham acesso à coleção do Museu Gulbenkian. Jorge da Costa, que assume a curadoria da exposição, sublinha ainda o “diálogo estabelecido entre um número significativo de museus”, capazes de “potenciar futuros projectos em rede”.

O curador destaca também a oportunidade oferecida ao público da região, “que reconhece a marca Gulbenkian”, de entrar em contato com um “dos mais sistemáticos conjuntos de obras de arte moderna e contemporânea portuguesa” e “uma das mais importantes coleções privadas de arte internacional.”


A partir do dia 08, o Museu de Portimão apresenta a exposição Lugares, Paisagens, Viagens assente, igualmente, numa criteriosa escolha de obras das Coleções do Museu Gulbenkian.

O director, José Gameiro, fala de uma “inspiradora parceria” também “potenciadora de um desejável e estimulante diálogo entre instituições culturais”. Congratula-se com a“continuada descentralização” da Fundação Gulbenkian, destacando ainda a “salutar cocuradoria” iniciada com esta exposição.


Programa completo de itinerância

Obras do Museu Calouste Gulbenkian

Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, Bragança e Espaço Miguel Torga, Sabrosa (1 dezembro 2018-24 março 2019), Museu de Portimão (8 dezembro 2018-3 março 2019), Centro de Artes de Sines (16 março- 09 junho 2019), Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (6 abril-28 julho 2019), e Palácio da Galeria, Tavira (23 novembro 2019-23 fevereiro 2020).

Coro e Orquestra Gulbenkian

Coro: Fundación Juan March, Madrid (5 dezembro), Sacra Capilla del Salvador, Úbeda (6 dezembro), Palais de la Musique et des Congrès, Bordéus (25 e 26 abril 2019), Auditório Adán Martin, Tenerife para (21 junho 2019).

Orquestra: Centro Cultural das Caldas da Rainha (24 janeiro 2019), Centro de Artes de Águeda (25 janeiro), Casa da Música, Porto (19 de junho), Convento de São Francisco, Coimbra (20 junho).

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade