Garrafeira portuguesa deixa de vender vinhos de Joe Berardo

Garrafeira deixa de vender vinhos associados a Berardo alegando "Quem rouba os portugueses não pode ser ajudado"

 

Uma garrafeira de Lisboa anunciou, esta terça-feira, que vai deixar de vender os vinhos das empresas onde Joe Berardo é acionista.
Em causa estão “as polémicas declarações do empresário na comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos, na última sexta-feira.”


Através do Facebook, a garrafeira e loja gourmet BacoAlto informou que “não vende, não compra, nem aconselha vinhos” das empresas em que José Manuel Rodrigues Berardo é acionista. As razões, essas, “são mais que conhecidas”.

O dito é acionista das Empresas Bacalhoa, Sogrape e Quinta do Carmo entre outras. Se és INTELIGENTE não é preciso dizer mais nada, por isso a vossa atitude pode fazer a diferença. Quem rouba os PORTUGUESES não pode ser ajudado”, refere a garrafeira.

Temos perfeita noção de que os vinhos destas empresas são bons. O acionista é que deixa muito a desejar”, disse António Albuquerque, gerente do espaço que se localiza no Bairro Alto, em declarações ao Observador.


Também nas redes sociais fazem eco de vários apelos ao “boicote dos vinhos associados a Joe Berardo,” algumas das publicações com mais de 10 mil partilhas.


Convém lembrar que, na ultima sexta-feira, na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da CGD, o empresário afirmou que é "claro" que não tem dívidas, numa resposta à deputada Mariana Mortágua. Postura que tem sido altamente criticada, já que o comendador deve milhões de euros à banca.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade