À descoberta dos parques e reservas naturais de Israel

O país possui mais de 40 reservas naturais onde se encontram zonas de água onde é permitido o banho, "constituindo uma excelente alternativa às praias banhadas pelo Mediterrâneo e pelo Mar Vermelho".

As Reservas Naturais da Forestal de Yehudiya e Ein Gedi, assim como os Parques Nacionaais Ein Prat, Ein Gedi e Gan HaShlosha.

Com uma temperatura média acima de 30 ° C durante os meses de verão, Israel possui "espaços naturais onde o visitante pode escapar ao calor sem ter que se deslocar para a costa".
O país possui mais de 40 parques nacionais espalhados por todo o território, "com reservas nas quais se escondem rios, riachos e piscinas naturais".
Lugares paradisíacos para se banhar nos dias mais quentes, "rodeados de natureza e de paisagens extraordinárias únicas" que Israel oferece.

Os melhores lugares para se refrescar em Israel:

Gan hashlosha

O Parque Nacional Gan HaShlosha, "um pequeno oásis escondido na região da Galileia, é um verdadeiro Éden", refere o turismo de Israel (espanhol) em comunicado.
A grande atracção são as piscinas naturais e as suas cascatas, que "vêm das nascentes do córrego Amal".

Essa característica mantém a temperatura da água em 28 ° C durante todo o ano. Além disso, está rodeado de palmeiras, vegetação e campos de relva.

Embora frequentado por quem procura relaxar e visitar o Museu de Arqueologia Regional e do Mediterrâneo, "com peças que mostram as diversas culturas que habitaram a região ao longo da História".

Nahal David

Na reserva Ein Gedi, na margem oeste do Mar Morto, está o David Creek (Nahal David), que deve seu nome ao bíblico Rei David.
A reserva é conhecida pelo caminho que "percorre o curso da torrente e pelas inúmeras piscinas naturais e cascatas" que se encontram ao longo do mesmo, ideais para se refrescar num dia quente de verão.
Ao chegar ao topo, encontra-se "a cascata David, a maior de todas, com 36 metros de altura".

A caminhada "dura menos de 20 minutos e vale a pena pelas vistas do Mar Morto e da vegetação e fauna que circundam o trilho".

Nahal amud

A Reserva Natural Nahal Amud, na região da Galileia, é "uma combinação de natureza e património humano".
"O riacho e suas nascentes, a vegetação, as cavernas pré-históricas e os antigos moinhos de farinha, fazem com que seja considerada por muitos como uma das mais belas rotas" em Israel.
A grande atracção são "as piscinas naturais rochosas, de águas rasas e claras, que se formam no ponto de encontro dos riachos Sekhvi e Amud".

Uma rede de trilhos cruza a reserva, incluindo duas das mais importantes do país: "o trilho Nacional e o Mar-a-Mar que atravessam o norte de Israel, do Mediterrâneo ao Mar da Galileia".

Ein Prat

No meio do deserto da Judeia está a reserva natural Ein Prat, também conhecida como Wadi Qelt, que "combina vales áridos típicos de paisagens desérticas com a vegetação ao redor dos riachos da região", perfeita para um banho nos dias quentes de verão.
Na face norte, há uma pequena nascente que "desagua numa piscina de cimento de 2,5 metros de profundidade, conhecida como piscina do Tamar", por estar próxima de uma tamareira (tamar em hebraico).

Ein Prat também oferece a oportunidade de "fazer excursões ou praticar escala da e rapel na falésia da margem norte do riacho".
A reserva também é frequentada por quem deseja visitar o Mosteiro de Faran, "o primeiro mosteiro cristão construído no deserto da Judeia", em 330 DC.

Floresta Yehudia

No Mar da Galileia, entre as ravinas das colinas rochosas de Golan, inúmeras cascatas desaguam "em lagoas profundas, cercadas pela reserva natural" da Floresta Yehudia.
No total, existem três riachos encontrados no parque: o Yehudia, o Meshushim e o Zavitan. Ao seu redor existe uma grande variedade de caminhos a percorrer, "dos mais simples e mais curtos - até 10km -, com trilhos que só podem ser percorridos por rapel".

As colunas hexagonais de basalto merecem uma visita, "um fenómeno geológico único criado pelo resfriamento das camadas de lava ao longo do tempo", explica o turismo de Israel..

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade