Para Sete Municípios: Baixo Tâmega é destino Enoturístico obrigatório

Para Sete Municípios: Baixo Tâmega é destino Enoturístico obrigatório
Divulgação

Segunda edição do projecto BTinova2.0 vai realizar-se com o impulso de sete municípios do Baixo Tâmega



De salientar que o projecto integra sete municípios, Amarante, Baião, Celorico de Basto e Marco de Canaveses, Cabeceiras de Basto, Resende e Mondim de Basto.

Ao vinho verde, o tema principal deste projecto, juntam-se “outros produtos endógenos de elevado valor, como as paisagens, a cultura e a história das gentes, elementos diferenciadores de uma estratégia turística alicerçada no potencial distintivo do território que visa estruturar toda a oferta e posicionar o Baixo Tâmega como destino turístico de excelência”.

E os operadores turísticos são os grandes motores do projecto. O objectivo passa por reforçar “o trabalho em rede entre os operadores do roteiro enogastronómico Verde Sentido e estimular o cross-selling regional, criado na primeira edição”.

A primeira edição deu um importante contributo na valorização dos produtos endógenos, apoiando o processo de certificação do Mel do Marão, Doces Conventuais de Amarante, Anho Assado com arroz de Forno, Fumeiro de Baião, Citrinos da Pala e Maçãs de Basto.
De destacar e valorizar a aprendizagem e a valorização dos mais de 50 operadoresbem como a " criação de um roteiro enogastronómico denominado, Verde Sentido".


Foi ainda dado relevo ao “City Break 2 Rios 2 Terras – “Stay to Walk” de Carolina Mendes e Sara Neto, um roteiro com um conjunto de experiências ligadas ao território que permitem ao visitante mergulhar a fundo no Baixo Tâmega.

 

O BTinova 2.0 tem como objectivo consolidar o Roteiro Enogastronómico Verde Sentido, fazendo-o chegar a outros operadores turísticos, refrorçando assim e em simultâneoo  "o trabalho em rede entre os operadores", crinado novas capacidades ao "cross-selling regional". O objectivo central desta acção é o de "envolver uma centena de operadores turísticos".

Por outro lado, valorizar os produtos endógenos continua a ser a palavra de ordem, tanto pela certificação de outros produtos diferenciadores,como também pela sensibilização para a utilização e promoção de produtos identitários.


Afirmar-se como um destino complementar ao Porto e ao Douro, uma Great Wine Capitals consolidada é também uma ambição deste BTinova 2.0. Na sessão de apresentação esteve, presente Ricardo Valente, vereador da Câmara Municipal do Porto.
Dando o exemplo do Porto, o autarca falou do potencial turístico de uma Great Wine Capitals.

Neste âmbito o projecto está assim a preparar uma candidatura do roteiro enogastronómico “Verde Sentido” aos prémios “The Best Of Wine Tourism Awards”, promovido pela Rede de Capitais de Grande Vinhedos e prepara-se para organizar uma conferência “Great Wine Capitals”.

 

RIU Hotels & Resorts

#EstamosON

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade