Pullmantur, operadora de cruzeiros, declara falência

Pullmantur, operadora de cruzeiros, declara falência
Divulgação

Após nove meses sem receitas, por causa da Covid-19, a operadora de cruzeiros Pullmantur declarou falência e pediu protecção de credores, numa tentativa de reorganização

Com um crescimento de 5% em 2019 e tendo obtido o maior volume de receitas dos últimos 15 anos (360 milhões de euros), a Pullmantur “sucumbiu a nove meses de inactividade (a retoma das operações foi adiada, de novo, agora para 15 de Novembro)”.


Os dois maiores accionistas da companhia, a Cruises Investments (51% do capital) e a Royal Caribbean (com 49%), optaram por declarar “a falência da Pullmantur em Espanha para tentar reestruturar as operações”.

A administração da Pullmantur indicou, em comunicado, que o “impacto sem precedentes da crise do novo coronavírus forçou o recurso à administração judicial e que a decisão foi comunicada aos trabalhadores antes do pedido ser enviado às autoridades espanholas”.


Apesar dos esforços realizados em 2019 para conseguir um incremento nos negócios, graças ao envolvimento dos trabalhadores, os ventos contrários causados pela pandemia têm sido fortes de mais”, lê-se no comunicado da companhia

#EstamosON

Corona - Covid19

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade