Arte Pública pretende levar mais gente às localidades com pouca população

O Arte Pública EDP é um programa orientado para territórios de baixa densidade populacional e que tem como objectivo envolver a população em novas experiências culturais, estimulando o desenvolvimento e a economia local através da realização de obras de arte pública.

 

Com o mote do aumento do Turismo, o programa Arte Pública EDP passará por 40 localidades, tendo sido lançado hoje em Lisboa os três primeiros roteiros, para o Alto Alentejo, Ribatejo e Algarve.

Os artistas fazem visitas às localidades, depois debatem as suas ideias com a comunidade e realizam as intervenções, por vezes com a participação dos habitantes, nomeadamente alunos das escolas locais. Os artistas, em colaboração com as populações locais, motivam-as a participar. São discutidos e debatidos os projectos intervenção artística a realizar em espaço público nas assembleias comunitárias.

O programa está já presente em cinco regiões: Algarve (projecto WATT?), Alto Alentejo (projecto Mayor.Art), Ribatejo (projecto UniArt), Médio Tejo (projecto ARTEJO) e Trás-os-Montes (projecto Voltagem). Segundo o comunicado de imprensa "em cada uma desta regiões, o trabalho dos artistas e comunidades dá forma a um roteiro de arte pública. Os guias produzidos pela Fundação EDP dão a conhecer a viagem por cada um desses roteiros. Estão disponíveis os do Alto Alentejo, Ribatejo e Algarve", estando por ser lançados os de Trás-os-Montes, Médio Tejo e Minho.

Alexandre Farto ou Vhils, Manuel João Vieira, Luís Silveirinha, XANA, Mariana A Miserável e Gonçalo MAR são alguns dos "mais de 35 artistas" que assinam as "79 intervenções", referiu o comunicado.

QATAR turismo

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade