Casa Fernando Pessoa: Vida e obra de Alberto Caeiro e jazz ao ar livre

A Casa Fernando Pessoa promove no mês de Julho uma programação dedicada à vida e obra de Alberto Caeiro e ainda concertos de jazz ao ar livre, que se prolongarão até meados de Agosto, ambos com entrada livre.

 

Eugénio Lisboa apresenta “Vida e Obras de Alberto Caeiro”, em mais uma edição da especialista em Fernando Pessoa, Teresa Rita Lopes.

Na sinopse desta obra, a autora escreve que para entender a poesia de Alberto Caeiro, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, impõe-se integrá-la no projecto pessoano do Neopaganismo Português e dos seus cultores: Ricardo Reis, o poeta, Alberto Caeiro, a sua consubstanciação, e António Mora, o seu teórico em prosa (sociólogo e filósofo).

"Os três “livros” de Caeiro, nesta obra considerados e assim por Pessoa chamados e previstos, dão notícia dessa vida sem acontecimentos, excepto a 'doença' do episódio amoroso: o segundo 'livro', composto por nove poemas", acrescenta.

O terceiro "livro", 'Andaime -- Poemas Inconjuntos', segue, como um diário, a evolução da tuberculose que o vitimou.

Assim, falar da vida de Alberto Caeiro é, no fundo, falar sobre os seus poemas, uma vez que, como escreveu Ricardo Reis, "a vida de Caeiro não pode narrar-se pois que não há nela que narrar. Seus poemas são o que viveu", explica a Casa Fernando Pessoa na apresentação da sua programação.


Por isso mesmo, haverá leituras dos poemas de Alberto Caeiro, mas também do que sobre este heterónimo escreveram os seus parentes, Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Fernando Pessoa, nesta edição dedicada ao autor de 'O Guardador de Rebanhos', a cargo de Teresa Rita Lopes e do músico e poeta Afonso Dias.

Fernando Pessoa descreve Alberto Caeiro como tendo nascido em Lisboa, mas vivido quase toda a sua vida no campo, diz que lhe morreram cedo o pai e a mãe e, por isso, vivia com uma tia-avó, "não teve mais educação que quase nenhuma, só a instrução primária", e "deixou-se ficar em casa, vivendo de uns pequenos rendimentos".

Adiante, Fernando Pessoa comenta: "Pus em Caeiro todo o meu poder de despersonalização dramática."

A partir de dia 06 de Julho e até 17 de Agosto, a música jazz regressa à Casa Fernando Pessoa todas as quintas-feiras, em concertos ao ar livre, na esplanada Flagrante Delitro.

São já três anos de concertos em formato duo, a reforçar a ligação da Casa Fernando Pessoa com o Hot Clube de Portugal.

Assim, na próxima quinta-feira, a esplanada da Casa Fernando Pessoa recebe o concerto 'Mano a Mano', com Bruno Santos e André Santos na guitarra, que dão lugar, na semana seguinte, a Francisco Brito, no contrabaixo, e a João Bernardo, no piano.

No dia 20 de Julho é a vez de actuarem o pianista Daniel Bernardes e o acordeonista João Barradas. A encerrar os concertos de Julho, o cantor João Neves e o guitarrista João Carreiro actuam no dia 27.

Para as primeiras três quintas-feiras de Agosto estão previstas as atuações dos duos Bruno Pernadas (guitarra) e Margarida Campelo (piano e voz), de César Cardoso (saxofone) e Jeffrey Davis (vibrafone), e de Gonçalo Marques (trompete) e André Matos (guitarra).

No dia 18 de Julho, a Casa Fernando Pessoa tem programada uma sessão de leitura dedicada a Vitorino Nemésio, romancista e poeta, autor de "Mau tempo no canal", numa edição organizada por Joana Morais Varela, que recorda a poesia do escritor, acompanhada com música.

As leituras estarão a cargo de António Poppe e a música será interpretada por Trio Cremeloque-Savka Komjirusic (piano), Luis Simões Marques (oboé) e Franz-Jürgen Dörsan (fagote).

QATAR turismo

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade