"Ler por aí", ou como ler um livro no local exacto

por: Zita Ferreira Braga

Ler por Lisboa, levando o livro associado ao local que se visita. É esta a proposta para este sábado.

Leve "O Último Cabalista de Lisboa" de Richard Zimmler e passeie-se pelos vestígioos hebraicos que existem em Lisboa ou talvez já lá não estejam.

Largo do Chafariz de Dentro, dia 18, pelas 15:00h

Pode começar no Largo do Chafariz de Dentro, percorrer Alfama até ao Largo de S.Domingos e descansar no Teatro Nacional de D.Maria II, que no tempo de Berequias se chamou Palácio de Estaus.
Entre vestígios da presença hebráica e a sua inexistência, reconhecemos os lugares de Berequias Zarco, um judeu que por ali andou em tempos passados.
Inscrição: €19,00.

Encontro no Largo do Chafariz de Dentro, dia 18, pelas 15:00h.
É recomendado o uso de calçado confortável. E leve o livro que fala dos locais por onde vai passear.
Os participantes podem beneficiar de um desconto de 10%.

Este espaço na Internet nasceu há pouco mais de um ano, por iniciativa da empresária Margarida Branco, de 38 anos, que conta como nasceu a ideia: «Quando ia em viagem, sentia a necessidade de levar um livro sobre o local, um livro cuja trama decorresse ali, onde estava, pelo que comecei a pesquisar na Internet por alguma página que associasse livros a lugares. Como não encontrei nada, criei eu esse espaço».

Assim surgiu, em Junho de 2006, o espaço «Ler por aí…», e onde se lê que «ao ler um livro cujo cenário é o local em que se está, esse lugar ganha vida, povoa-se das personagens da história e como que testemunhamos o desenrolar da acção com os nossos cinco sentidos».

«É uma experiência muito interessante ler um livro no local que o autor escolheu como cenário», afirma Margarida Branco, assegurando que, antes de viajar, tem sempre a preocupação de procurar um livro adequado para levar consigo.

Para contagiar os outros com esta paixão, colocou no espaço «Ler por aí…» uma lista de obras com os correspondentes lugares onde a leitura será particularmente apreciada.

Quem está de partida para a Amazónia não deve embarcar sem o livro «A Selva», de Ferreira de Castro, enquanto «Ventos de Quaresma», de Leonardo Padura, é a proposta para quem ruma a Cuba e «Siddhartha», de Hermann Hesse, a sugestão para quem se dirige à Índia.

Mesmo para quem não vai tão longe, a companhia de um livro é indispensável, na opinião de Margarida Branco, que sugere «Estórias do Sul», de Teresa Rita Lopes, para uma deslocação ao Algarve, «Uma Família Inglesa», de Júlio Dinis, a quem vai de visita ao Porto e «Mau Tempo no Canal», de Vitorino Nemésio, a quem voa para os Açores.

Mídia

NULL

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade