Rocha Peixoto homenageado no 1º centenário da sua morte

por: Zita Ferreira Braga
Rocha Peixoto homenageado no 1º centenário da sua morteRocha Peixoto, ilustre poveiro multifacetado, que no seu caminho profissional foi arqueólogo, etnólogo, bibliotecário, naturalista, entre muitos outros vai ser homenageado no 1º centenário da sua morte. 

O programa comemorativo “facultará um conhecimento mais próximo e mais autêntico da multifacetada actividade cultural de Rocha Peixoto”, um homem, autodidacta, que tendo vivido apenas 43 anos, incompletos, deixou uma “marca impressiva” para a posteridade, “sobretudo na sua Póvoa de Varzim, no Porto e em Matosinhos, terras a que, por força do seu percurso profissional, mais intimamente se ligou.”

Fazendo referência ao vasto rol de instituições “tão prestigiadas da vida cultural portuguesa” que contribuem para o programa comemorativo, como as Universidades do Porto, do Minho e de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão, ou a Sociedade Martins Sarmento, a Fundação Eng. António de Almeida, os Museus Nacionais de Etnologia e de Soares dos Reis, os Museus de Alberto Sampaio, de D. Diogo de Sousa e de Olaria, ou as Bibliotecas Públicas de Braga e Porto, “representando os territórios onde mais vincadamente Rocha Peixoto deixou a marca cintilante de um génio que se notabilizou como etnógrafo, arqueólogo e bibliotecário”, Macedo Vieira acredita estar garantida “a qualidade científico-cultural de todo o programa comemorativo.”

O programa comemorativo conta ainda com outras actividades, como o lançamento do sítio das Comemorações e da Biblioteca Digital Rocha Peixoto. Em
www.cm-pvarzim.pt/biblioteca/site_rocha_peixoto/  e para além de funcionar como guia através de todo o programa do 1º centenário da morte de Rocha Peixoto, permite aceder a documentos, livros ou fotografias que fazem parte do acervo de Rocha Peixoto.

No Museu Municipal estará patente uma exposição que, como explicou a directora Deolinda Carneiro, explora as vertentes de naturalista, coleccionista, museólogo e arqueólogo de Rocha Peixoto, assim como a sua paixão pela cerâmica.

Uma exposição possível devido à colecção que a Câmara Municipal adquiriu à família de Rocha Peixoto, pouco após a sua morte e que mostra o bom gosto do poveiro “no que respeita às artes decorativas e de revestimento, à cerâmica, faianças e azulejos.”
Já na Biblioteca Municipal decorrerá uma exposição documental, com material tratado e inventariado.

Aproximando a figura de Rocha Peixoto à comunidade escolar, o programa prevê a realização de sessões pedagógicas em escolas do concelho, com a apresentação de um filme sobre a vida e obra de Rocha Peixoto.

Este filme, que tem a duração de 15 minutos, foi realizado pela historiadora Sofia de Azevedo Teixeira, que pretendeu focar “a sua faceta de sonhador” assim como “os caminhos que ele terá percorrido para contactar com as pessoas, as tradições e os costumes”, explicou a realizadora.

Também o Boletim Cultural “Póvoa de Varzim” homenageia Rocha Peixoto. Maria da Conceição Nogueira, Directora do Boletim, explicou que será organizado um número temático que terá o contributo de especialistas nas várias áreas científicas estudadas por Rocha Peixoto, assim como textos evocativos de vários autores.

Uma sessão filatélica, a apresentação da medalha evocativa, uma sessão de homenagem e ainda a colocação de um busto na Biblioteca Municipal são outras das actividades previstas e que podem ser consultadas no sítio das comemorações.


Este programa comemorativo é assim mais do que uma homenagem. É também a oportunidade de conhecer mais profundamente o trabalho que desempenhou, fazendo renascer a semente da procura do saber que Rocha Peixoto deixou à sua Póvoa de Varzim, e que apaixonou outros ilustres poveiros como António Santos Graças, Cândido Landolt ou Flávio Gonçalves. 

Mídia

NULL

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade