Tomar comemora os 60 anos da primeira exposição surrealista

Tomar comemora os 60 anos da primeira exposição surrealista

A 19 de Janeiro de 1949, um grupo de jovens artistas – Alexandre O’Neill, António Dacosta, António Pedro, Fernando de Azevedo, João Moniz Pereira, José-Augusto França e Marcelino Vespeira – inaugurou um pequeno escândalo na sociedade lisboeta de então.

Dia 19 de Janeiro, no Clube Thomarense. Junto ao Café Paraíso, na Corredoura, em Tomar, claro! 

Foi a primeira e única exposição do Grupo Surrealista de Lisboa no último andar do n.º 25 da Travessa da Trindade.
Seis décadas passadas, a importância desse acto no panorama artístico nacional é uma evidência.
O Núcleo de Arte Contemporânea de Tomar, cujo acervo integra um significativo número de obras produzidas por artistas do Grupo, vai assinalar os 60 anos desse acontecimento dedicando-lhe uma programação que se estenderá por todo o ano de 2009.
A marcar a efeméride e como arranque do programa comemorativo, vai decorrer no próximo dia 19 de Janeiro, segunda-feira, uma mesa-redonda com a presença de José-Augusto França, Rui Mário Gonçalves, Raquel Henriques da Silva e Cristina de Azevedo Tavares.
A iniciativa, “Exactamente – 60 anos depois” terá lugar no Club Thomarense, junto ao Café Paraíso, na Corredoura, pelas 18 horas, com entrada livre.
No Café Paraíso decorrerá uma pequena mostra de publicações alusivas.

Mídia

NULL

QATAR turismo

RIU Hotels & Resorts

Artigo de Opinião

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Actualidade