Grupo Almedina lança versão portuguesa de “Fire and Fury”, Donald Trump

Acaba de chegar às livrarias portuguesas, através da Actual Editora, o polémico livro sobre Donald Trump, da autoria de Michael Wolff: “Fogo e Fúria: dentro da Casa Branca de Donald Trump”.



Nesta obra, que tem sido um dos títulos mais comentados nos últimos meses em vários países, o autor, com acesso privilegiado à Casa Branca, mostra-nos como é que Donald Trump se tornou o rei da discórdia e da segregação.
A versão portuguesa de “Fire and Fury”, bestseller com eco na imprensa norte-americana e internacional, está à venda em Portugal pelo PVP de 17,90€.

A Actual Editora, uma chancela do Grupo Almedina, acaba de lançar, no país, a versão portuguesa de “Fire and Fury”, de Michael Wolff.

Com acesso privilegiado à Casa Branca de Trump, o autor conta-nos, nesta obra, a história da presidência mais controversa de todos os tempos e abre-nos portas ao caos da sala oval.


“Fogo e Fúria: dentro da Casa Branca de Donald Trump” dá a conhecer ao leitor diversas revelações chocantes sobre o presidente norte-americano. Entre outras coisas, permite conhecer a verdadeira opinião da equipa de Trump sobre o presidente; assim como os motivos que inspiraram Trump a afirmar que o ex-presidente Obama o tinha sob escuta ou a despedir James Comey, director do FBI.

A razão pela qual Steve Bannon, director de campanha, e o genro de Trump, Jared Kushner, não podiam estar na mesma sala é outro dos segredos desvendados ao longo deste livro, que tem gerado bastante polémica, sobretudo nos EUA.

Através de um acesso íntimo aos corredores da Casa Branca de Trump, Michael Wolff desvenda ainda qual é o segredo de comunicação de Trump bem como o nome da pessoa que está à frente da administração do presidente americano depois do despedimento de Bannon.

Com uma escrita mordaz, “Fogo e Fúria” mostra-nos como é que Donald Trump se tornou o rei da discórdia e da segregação e explica-nos a história da presidência mais polémica do nosso tempo, vista de dentro.

Quase toda a gente envolvida na campanha de Trump julgava ter bom senso e realismo. Eis o acordo silencioso que selaram entre si: Donald Trump não só seria presidente, como provavelmente não era nada boa ideia que viesse a sê-lo. Para bem de todos, a primeira convicção significativa que ninguém teria de lidar com a segunda hipótese”, escreve Michael Wolff em “Fogo e Fúria”. E acrescenta: “À medida que a campanha se ia aproximando do fim, Trump começou a revelar-se optimista. O seu amigo de longa data Roger Ailes gostava de afirmar que, quem quisesse fazer carreira na televisão, deveria antes candidatar-se à presidência. Agora, Trump, encorajado por Ailes, lançava rumores de um canal Trump.

Era um futuro glorioso. Sairia daquela campanha, assegurou Trump a Ailes, com uma marca muito mais poderosa e oportunidades incalculáveis. “Isto é maior do que alguma vez sonhei”, confidenciou a Ailes uma semana antes da eleição. “Não penso perder, porque não é perder. Ganhámos imenso.” Mais importante ainda, já havia esboçado a sua resposta pública para o caso de perder as eleições: fui roubado! Donald Trump e os poucos paladinos da sua campanha estavam preparados para perder com fogo e fúria. Não estavam preparados para ganhar”.


“Fogo e Fúria: dentro da Casa Branca de Donald Trump”, um livro de entretenimento, que aborda temas polémicos (como por exemplo a relação de Trump com Putin, a sua mulher, filhos e personalidades envolvidas na sua campanha) já está disponível nas livrarias portuguesas pelo PVP de 17,90€.

Subscreva a newsletter oturismo.pt
captcha 

Publicidade

Actualidade